De volta ao Brasil, Ganso evita problemas com Santos  

Dois dias após ser "desconvocado" do grupo brasileiro que viajou para Estocolmo para enfrentar a Suécia em amistoso desta quarta-feira, o meia Paulo Henrique Ganso desembarcou em São Paulo evitando entrar em polêmicas. O jogador, que foi liberado da Seleção Brasileira por "decisões técnicas", negou estar machucado, evitou falar de seu futuro e ainda se colocou à disposição do técnico Muricy Ramalho para o próximo jogo do Santos, nesta quinta-feira contra o Figueirense, em Florianópolis.

Ganso, que ficou na reserva de Oscar durante os Jogos Olímpicos de Londres, rechaçou qualquer possibilidade de estar machucado. O jogador, que sequer ocupou o banco de reservas do Brasil na partida contra a Nova Zelândia, pela última rodada da primeira fase da Olimpíada por estar com uma lesão na coxa esquerda, classificou seu problema físico como um "pequeno incômodo".

No último sábado, após a derrota do Brasil para o México na final dos Jogos Olímpicos de Londres, o camisa 10 santista foi "cortado" do grupo que viajou para Estocolmo para o amistoso contra a Suécia. Mano Menezes, técnico da Seleção, justificou a liberação de Ganso, dizendo que a decisão foi tomada por "questões técnicas".

Envolvido em polêmicas sobre sua permanência no Santos - há cerca de 10 dias, em entrevista à TV Cultura, o presidente do Santos, Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro, afirmou que estava pronto para ouvir as propostas pelo jogador, que não deveria permanecer no clube -, Ganso preferiu manter o "discurso imparcial" e negou saber de qualquer negociação com outros clubes. "Estava acompanhado (a polêmica) de longe, vou conversar com todo mundo e fazer o melhor para a minha vida. Eu tenho contrato com o Santos, tenho que cumprir", disse antes de se corrigir: "vou cumprir".

Após cerca de um mês longe do clube, Ganso ainda se mostrou motivado para voltar a atuar pelo Santos. "Vou me apresentar, quinta já tem jogo. Estou a disposição se o Muricy quiser", disse, antes de confirmar que falou com o novo reforço do clube, o seu amigo André, com quem atuou em 2010 na campanha do título paulista e da Copa do Brasil: "Eu e o Neymar falamos com ele (André). Estamos muito animados para jogar juntos de novo e poder ajudar o Santos", completou.