Blatter diz ter respeito por Havelange e evita comentar denúncias 

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, se esquivou nesta quinta-feira de perguntas sobre as acusações de corrupção contra os brasileiros João Havelange e Ricardo Teixeira, que presidiram, respectivamente, a Fifa e a CBF. O mandatário do futebol mundial disse que prefere aguardar o aprofundamento das investigações que apontam que os dois ex-dirigentes receberam propina da empresa suíça ISL.

Questionado sobre o que sentia, pessoalmente, a respeito do episódio, Blatter ressaltou ter grande respeito por Havelange, seu antecessor no comando da entidade máxima do futebol, mas sequer tocou no nome de Ricardo Teixeira.

"Tive grande prazer em conhecer e trabalhar com Havelange. Estive com ele durante 23 anos. Não estou aqui para julgá-lo, tenho grande respeito por ele", afirmou, após se encontrar com a presidente Dilma Rousseff, em Londres.

A presidente do Brasil se encontrou com o chefe da Fifa no hotel Ritz, na capital britânica, na manhã desta quinta-feira. No local, ambos discutiram assuntos relacionados à Copa do Mundo de 2014. O suíço elogiou os trabalhos realizados no Brasil até o momento, apesar de alertar que algumas sedes estão com obras atrasadas.

Blatter ainda ressaltou que o Comitê de Ética da Fifa abriu recentemente apuração para avaliar as denúncias de corrupção envolvendo os dois dirigentes, e que não se manifestaria mais sobre o assunto.