Seedorf assume simpatia por Flamengo na chegada ao Botafogo 

A apresentação oficial no Botafogo não impediu o holandês Seedorf de ser sincero. O jogador, que começa a treinar no clube alvinegro nesta terça-feira, assumiu que nutria simpatia pelo Flamengo antes de assinar contrato com o novo clube.

"Sempre fui simpatizante do Flamengo porque Zico jogava lá", afirmou o veterano de 36 anos, que logo tratou de explicar que a simpatia antiga foi substituída e não vai fazer diferença no seu empenho pelo Botafogo. "Também sempre fui simpatizante do Milan e fui jogar primeiro na Inter. Tenho simpatia por muitos clubes. Mas hoje tanto eu quanto a minha mulher (a brasileira Luviana) somos botafoguenses."

Seedorf assinou contrato de duas temporadas com o clube carioca e vai receber R$ 18,5 milhões. Começa a treinar nesta terça-feira, mas não soube precisar quando pode estrear. "Tenho que treinar e ver quando isso vai ser possível", disse o meia, que participou normalmente dos últimos jogos pelo Milan na temporada 2011/2012 em junho.

O holandês disse que uma de suas principais características é sonhar e que foi seduzido pelo projeto do Botafogo de voltar a ter um espaço importante no cenário do futebol nacional e internacional. "Um critério muito importante para mim é agregar valor a um time. O Botafogo tem projeto ambicioso de voltar a ser reconhecido em nível mundial. Quero ajudar a realizar sonhos da torcida."

O presidente Maurício Assumpção e Seedorf contaram que o primeiro contato entre os dois ocorreu há um ano. Mas naquela oportunidade o meia ainda tinha contrato com o Milan e preferiu permanecer na Itália. Agora, o holandês imagina que pode levar o Botafogo ao título brasileiro que não conquista desde 1995, embora prefira não fazer promessas.

"Por sua história, é o título que o Botafogo tem de disputar. No último ano o clube se manteve no topo quase até o fim da competição. Neste ano o desafio é permanecer até o fim", declarou Seedorf, que ficou muito comovido com a recepção que teve dos torcedores botafoguenses. "Não gosto de prometer muita coisa. Assim foi sempre na minha carreira. Gosto de trabalhar, sou profissional, isso posso prometer. Ganhar o campeonato é um sonho, precisamos mostrar no campo que podemos realizá-lo. Minha sensação é que este grupo está muito unido. Se em 2004 a Grécia ganhou a Eurocopa com união, por que o Botafogo não pode ganhar agora?"