Corinthians e Palmeiras caem no Paulista e veem goleiros na berlinda 

Eles são goleiros jovens revelados nas categorias de base de dois dos maiores clubes do Brasil. Cada um assumiu a titularidade nos últimos anos e recebem o respaldo de comissão técnica, elenco e diretoria. No último domingo, os dois deixaram suas partidas em tristeza por falhas que culminaram em eliminações no Campeonato Paulista. Para Deola e Júlio César, as quartas de final do Estadual ocorreram de forma dolorosa.

O goleiro do Corinthians, que se tornou titular depois da saída de Felipe, passou por altos e baixos na meta alvinegra. Júlio César possui falhas em partidas importantes como o empate com o Goiás pela última rodada do Campeonato Brasileiro de 2010 (que deixou o Corinthians em terceiro e no caminho do Tolima na Libertadores).

No ano seguinte, errou na final do Paulista contra o Santos em finalização de Neymar. Ele chegou a perder a titularidade do Corinthians para Renan, mas a retomou pouco depois devido às atuações fracas do ex-jogador do Avaí. Júlio César prevaleceu, e fez um Campeonato Brasileiro decisivo, sendo um dos pilares do título corintiano.

Na partida contra a Ponte Preta pelas quartas de final do Paulista, porém, uma atuação insegura voltou a assombrar o goleiro. Júlio César aceitou falta cobrada por William Magrão no primeiro tempo, e já ao fim da partida acertou tiro de meta nas costas de Leandro Castán e viu Rodrigo Pimpão fazer o terceiro gol da Ponte.

Os erros abateram Júlio César, que chegou a ouvir vaias, mas recebeu apoio do técnico Tite. "O Júlio César é o mesmo que fez uma defesa extraordinária contra o Ceará na partida em que encaminhamos o título brasileiro. Não tem individualidade. Vence, vencem todos. Perde, perdem todos", disse o técnico.

Para Deola, o domingo foi ainda pior. O goleiro foi apontado pela torcida como uma das causas dos três gols feitos pelo Guarani na vitória por 3 a 2 em Campinas. O arqueiro vive momento instável desde que assumiu o papel de goleiro titular do Palmeiras após a aposentadoria de Marcos.

Deola já atuava frequentemente o time principal, mas desde o adeus do ídolo alviverde passou a exibir atuações inseguras. Ele chegou a ser barrado por Luiz Felipe Scolari contra o Oeste, mas retomou a posição na partida seguinte.

Perguntado sobre a atuação de Deola neste domingo, Felipão não entrou em polêmicas. "Não há nada a falar sobre isso. O Deola é o goleiro que escolhi", afirmou o treinador do Palmeiras no Brinco de Ouro da Princesa.

Corinthians e Palmeiras agora se voltam para outras metas. Os alvinegros estão nas oitavas de final da Copa Libertadores enfrentando o Emelec. Enquanto isso, os alviverdes duelarão com o Paraná nas oitavas da Copa do Brasil. Até as partidas a missão de Tite e Scolari será recuperar o emocional de seus goleiros, já que o Estadual acabou, mas as decisões continuam.