Técnico do Osasco indica "paciência" a Camila Brait na Seleção de vôlei 

Camila Brait se firmou como uma das principais líberos do Brasil. Só não pode ser considerada absolutamente a número um em virtude da presença de Fabi, da Unilever, titular da Seleção Brasileira e nome de confiança do técnico José Roberto Guimarães. Para Luizomar de Moura, treinador de Brait no Sollys/Osasco, a pupila precisa manter a paciência e esperar o momento certo para que seja a líbero principal da equipe brasileira.

"Eu sou suspeito para falar sobre a Camila. Eu primeiro a conheci nas Seleções de base, quando treinou comigo. Fomos campeões juvenis em 2007 na Tailândia. Eu a trouxe para o Finasa porque enxerguei potencial", lembrou Luizomar, em entrevista concedida durante visita ao Terra.

"Só que hoje tem a Fabi, que é a melhor líbero do mundo. Então ela tem que ter paciência. Fez uma grande final, uma grande Superliga, mas tem uma grande jogadora agora no time titular da Seleção Brasileira", afirmou.

Brait foi escolhida a melhor líbero da última Superliga feminina, vencida pelo Sollys/Osasco em final contra a Unilever de Fabi. Camila, 23 anos, está entre as convocadas para a Seleção Brasileira que faz um período de treinamentos em Saquarema e disputará o Pré-Olímpico Sul-Americano em São Carlos no mês de maio.

"Ela tem que trabalhar forte e esperar pela oportunidade, que vai chegar. Ela tem que ser ambiciosa, claro, mas tem que esperar o momento certo. É o que tento passar para ela", disse Luizomar.