Rosberg faz corrida impecável e vence a primeira na Fórmula 1 

Depois de conseguir a primeira pole position da carreira na Fórmula 1, o alemão Nico Rosberg confirmou o final de semana perfeito na Ásia e venceu o GP da China, na madrugada de domingo. O piloto fez uma prova impecável, chegou a abrir 25 segundos de vantagem para o segundo colocado e garantiu seu primeiro triunfo na categoria, encerrando jejum de 30 corridas sem sequer subir ao pódio.

A última vez em que havia terminado bem uma prova de Fórmula 1 foi em 2010, no Grande Prêmio de Inglaterra. Rosberg largou muito bem e não chegou a ser ameaçado na prova, mantendo sua Mercedes bem à frente, auxiliado pela boa estratégia criada. O final de semana da escuderia só não foi melhor porque um erro no pit-stop de Michael Schumacher, que largou em segundo lugar, obrigou o heptacampeão a abandonar a prova: a roda dianteira direita foi mal colocada.

O pódio foi completado pelas McLarens de Jenson Button, que poderia ter competido com Rosberg não fosse a demora em uma das paradas para troca de pneus, e de Lewis Hamilton, que ultrapassou o atual campeão Sebastian Vettel para garantir um lugar ao pódio e a liderança do atual mundial da categoria.

O melhor brasileiro foi Bruno Senna, que terminou com a 7ª colocação, à frente do companheiro de Williams, o colombiano Pastor Maldonado. Já Felipe Massa chegou a ocupar a liderança da prova no rodízio promovido pelas diversas paradas nos boxes, mas não teve ritmo para brigar com Alonso, 9° colocado, muito menos para pontuar: ficou com o 13° lugar.

Os pilotos da Fórmula 1 voltam a acelerar seus carros já na próxima semana, para o GP do Bahrein, quarta etapa da temporada

A corrida

A largada do Grande Prêmio da China de Fórmula 1 ocorreu sem problemas ou polêmicas, com as Mercedes da primeira fila mantendo as posições com folga: Nico Rosberg saiu muito bem e não demorou a abrir mais de 3s para o segundo colocado, Michael Schumacher. Jenson Button também foi bem, ganhando três posições para ocupar o terceiro lugar, depois de deixar para trás Kimi Raikkonen e Kamui Kobayashi.

O único toque ocorreu entre dois brasileiros: Felipe Massa, que saiu em 12º e ganhou duas posições, teve de frear por conta da proximidade com Romain Grosjean na primeira curva. Com isso, Bruno Senna ficou sem espaço para tirar sua Williams do caminho, tocando com a asa na roda traseira. Nenhum dos brasileiros sofreu consequências por conta disso. O primeiro abandono da prova veio na 13ª volta, com Michael Schumacher, após erro na colocação do pneu direito dianteiro no primeiro pit-stop.

Massa, que foi o último piloto a fazer a parada na China, assumiu a liderança provisoriamente durante a 16ª volta, mas não aguentou o ritmo e voltou a ceder a ponta para Nico Rosberg. O brasileiro só trocou os pneus no 19º giro. Sete voltas depois, travou duelo pela 12ª colocação com Lewis Hamilton - em 2011, os dois se envolveram em polêmicas após acidentes na temporada. O britânico levou a melhor com tranquilidade.

Assim como Massa, Bruno Senna optou por fazer uma corrida tática, mais preocupada em pontuar de alguma maneira do que brigar por posições. Os brasileiros não correram risco, deram passagem quando necessário e se mantiveram no bloco intermediário de carros. Fernando Alonso, que almejava boa colocação, errou na 43ª volta, passou pela grama e quase acertou Sérgio Perez, perdendo duas posições com a manobra.

Nas voltas finais do Grande Prêmio da China, a briga se intensificou pelas posições do 9º ao 12º lugar, especialmente entre Kobayashi e Sérgio Perez. Na frente, Rosberg se manteve impecavelmente na primeira colocação, beneficiando pela falta de poder de ataque de Jenson Button, que perdeu segundos importantes em um erro de pit-stop da McLaren. O britânico precisou se importar mais com a segunda colocação, em confronto com Sebastian Vettel.

O atual campeã da Fórmula 1 não conseguiu reerguer a Red Bull em 2012: acabou derrotado e ultrapassado também por Lewis Hamilton. Enquanto Rosberg completou com tranquilidade o GP da China, as duas McLarens determinaram a segunda colocação para Jenson Button, com Hamilton no terceiro lugar.