Argentinos fazem piada com vitória sobre Flu 

Um temido adversário brasileiro confirmou nesta quarta-feira a vaga nas oitavas de final da Copa Libertadores da América: o Boca Juniors, que venceu o Fluminense por 2 a 0 no Engenhão, pela quinta rodada do Grupo 4, e colocou fim ao aproveitamento de 100% do time carioca no torneio. Resultado este que animou a imprensa argentina, que lembrou a mística copeira do clube de Buenos Aires e ainda aproveitou para tirar uma casquinha do triunfo no Rio de Janeiro.

"Em grande estilo: Boca se classificou no Brasil com uma vitória que empolga", noticiou o jornal La Nación na página principal na internet. A equipe portenha, mesmo desfalcada do craque Juan Román Riquelme, saiu vitoriosa de campo graças aos gols do atacante Darío Cvitanich e do volante Juan Sánchez Miño. Rafael Moura ainda perdeu um pênalti para o Fluminense.

Clarín, por sua vez, evocou um tom mais nostálgico para noticiar a vitória boquense e relembrou triunfos passados do time copeiro argentino em solo brasileiro: sobre o Palmeiras, na final de 2000 e na semi de 2001, e sobre o Grêmio, na decisão de 2007 - faltou apenas mencionar a decisão de 2003 sobre o Santos.

"Como não se animar? Como não se lembrar das velhas épicas vitórias do Boca de Carlos Bianchi no Brasil contra o Palmeiras? Ou a final contra o Grêmio em 2007, com um Riquelme brilhante e Miguel Russo no banco? O Boca prático e com pouco brilho de Julio Cesar Falcioni se graduou como um time copeiro no Rio de Janeiro", recordou.

Menos saudosista e mais descontraído foi o Olé, que aproveitou até para fazer uma piada com a manchete da notícia em sua página oficial. "Me Río de Janeiro", estampou o diário esportivo, com um trocadilho que, em tradução livre, significaria "eu Rio de Janeiro".

"Vitória de ouro do Boca no Brasil, encerrando a invencibilidade e passando às oitavas de final da Copa. De brinde, ainda pode terminar na liderança do grupo. E é líder do Campeonato Argentino. Que tal?", recordou o diário, que soube, também, ressaltar a força do time carioca na partida desta quarta no Engenhão.

"Uma prova de fogo. Foi por isso que o Boca passou no Rio de Janeiro. Jogo de Libertadores, bem de Libertadores. No Brasil, estádio cheio, contra um rival classificado que jogou como se estivesse obrigado a vencer para conseguir algum objetivo. O Boca resistiu, sofrendo em alguns momentos, mas resistiu nos 90 e poucos minutos. Soube passar por pequenos vendavais, atacou pouco, mas foi efetivo e conseguiu a uma vitória de ouro, dessas que geram confiança e tranquilidade", elogiou.

A vitória desta quarta, pela quinta rodada do Grupo 4, deixou o Boca com dez pontos, agora dois a menos que o ainda líder Fluminense. A equipe de Abel Braga pega na próxima quarta o também argentino Arsenal de Sarandí, já eliminado, com seis pontos, enquanto o Boca encara o venezuelano Zamora.