Motivados por punição a Neymar, árbitros processam cartolas 

A indenização de R$ 15 mil que o atacante Neymar foi obrigado a pagar ao árbitro Sandro Meira Ricci, devido a uma mensagem em seu perfil no Twitter que chamou o juiz de "ladrão" após uma partida do Santos em 2010, servirá de base para vários processos que árbitros de futebol moverão contra dirigentes. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, o sindicato dos árbitros de Pernambuco deve entrar com ação contra cartolas do Estado em 30 dias. O advogado do sindicato é Giulliano Bozzano, ex-árbitro que se aposentou da função em 2010, e que representou Ricci contra Neymar. Ele também vai defender o árbitro baiano Jaílson Macedo Freitas em uma ação contra nove pessoas.

Segundo Bozzano, a decisão da Justiça a favor de Ricci é uma "jurisprudência importante" para os demais processos. O sindicato de Pernambuco deve processar, entre outros, membros da diretoria e da comissão técnica do Náutico, que atacaram o árbitro Cláudio Mercante após uma partida contra o América-PE, em janeiro, em que o atacante alvirrubro Rogério se lesionou gravemente - o então técnico Waldemar Lemos chegou a pedir "cadeia" para Mercante. 

Já entre os alvos da ação de Jaílson Macedo Freitas figura o presidente do Vitória, Alexi Portela, que o teria ofendido após um clássico contra o Bahia, no Campeonato Baiano de 2011.