Radiação de Chernobil causou câncer em atleta do Aston Villa 

O médico da seleção búlgara, Mihail Iliev, afirmou em entrevista ao jornal inglês The Sun que o acidente nuclear na usina de Chernobil, em 1986, na Ucrânia, foi a causa do câncer contraído pelo meia Stiliyan Petrov. No fim de março, o jogador do Aston Villa encerrou a carreira porque teve diagnosticada leucemia aguda.

De acordo com o médico, 61 anos, a região de Montana, cidade em que Petrov nasceu, teve radiação entre 1000 e 1300 acima do normal. Para Iliev, houve descaso das autoridades da Bulgária, que não informaram a população sobre o perigo do acidente nuclear nos vegetais colhidos. Muitas pessoas da região do agora ex-jogador também foram diagnosticadas com câncer.

O doutor se baseia no fato do câncer ter sido causado pela radiação porque ninguém na família de Petrov sofreu o mesmo problema. A grande distância da capital Sofia para Chernobil, cerca de 1000 km, não impediu que diversas pessoas tivessem sido afetadas pelo vazamento da Usina na Ucrânia.

Com 32 anos, Petrov teve leucemia aguda diagnosticada antes da partida contra o Arsenal pelo Campeonato Inglês. Revelado pelo CSKA Sofia, o jogador teve passagens por Celtic e estava no Aston Villa desde 2006. Pela seleção búlgara, o meia atuou em 105 partidas e marcou oito gols.