Leão se anima com time ofensivo, mas pede reforços para Brasileiro 

Famoso pelo alto nível de exigência, o técnico Emerson Leão saiu satisfeito da vitória do São Paulo por 2 a 0 sobre o Mogi Mirim, no sábado, pela 18ª rodada do Campeonato Paulista. O time tricolor alcançou a marca de dez vitórias consecutivas na temporada e foi a campo com uma escalação bastante ofensiva, com Cícero exercendo a função de volante e aparecendo bastante no apoio ao ataque. Para o treinador, a chance de a formação se repetir nas fases finais do Estadual é grande.

"Eu gosto desse tipo de futebol, onde o segundo volante é criativo e marcador. Se você tem um atleta desta característica (Cícero), que é 'poli', um curinga, por que não usá-lo? É isso que eu fiz", afirmou Leão, feliz com o rendimento da equipe. "O Jadson está subindo, é isso que nós queríamos, o compromisso dele. O Fernando (Fernandinho), além de goleador, não deixa o lateral jogar e joga em cima do lateral, é isso que nós queremos. Se for possível com o mesmo nível, podemos repetir (a formação) sem nenhum problema".

Apesar de contar com a ofensividade de Cícero e Casemiro no meio de campo, mais o trio Lucas-Jadson-Fernandinho jogando próximo de Luís Fabiano, o São Paulo só balançou as redes contra o Mogi em jogadas de bola parada. O treinador, porém, preferiu destacar os resultados positivos que o time vem conquistado e a liderança do Campeonato Paulista.

"Estamos muito bem, decididos a formar uma equipe de trabalho coesa e satisfeita com seus resultados. Fazia mais de uma década que não vencíamos dez seguidas, é motivo de júbilo, já pensou a responsabilidade de vencer a 11ª, a 12ª, a 13ª, para conquistar o campeonato? Nosso time não é imbatível, mas luta dentro de campo para não merecer a derrota", discursou.

O que preocupa Leão não é a produção do time, mas os desfalques por lesão que se acumulam. Contra o Mogi, o técnico perdeu o volante Fabrício e o zagueiro Paulo Miranda, que saíram contundidos ainda no primeiro tempo. Por conta disso é que reforçar o elenco é uma das prioridades para o segundo semestre. "Vamos para o Brasileiro pensando em trazer mais companheiros para jogar", confirmou o treinador.