Confiante, Joel diz que "a vida continua" mesmo se Fla fracassar 

A tarefa do Flamengo na próxima quinta-feira não é nada fácil: precisa vencer o Lanús, às 19h30 (de Brasília) no Engenhão, e torcer por um empate entre Olímpia e Emelec, no Paraguai, para conseguir passar à próxima fase da Copa Libertadores da América. Mas, para o técnico Joel Santana, futebol é futebol.

"Quem poderia dizer que o Olimpia perderia por 6 a 0 para o Lanús? Primeiro temos que vencer e, depois, esperar o que vai acontecer", disse. Treinador experiente, mas com poucos êxitos na carreira na competição sul-americana, Joel Santana disse que os clubes brasileiros precisam entender melhor a Libertadores.

"As equipes do Brasil precisam aprender a conviver com a Libertadores. Vocês viram o que fizeram com a gente na Argentina? E no Paraguai? E, agora no Equador?", questionou, lembrando as más condições dos vestiários e dos péssimos gramados.

Apesar de a vitória por 2 a 1 no clássico diante do Vasco ter aliviado a tensão no clube, para o técnico do Flamengo, nem de longe dá para comparar uma vitória no Estadual com um jogo de Libertadores. "Eles colocam 15 mil pessoas no estádio e parece que são 200 mil. É pressão no árbitro, é pressão em todo mundo", lembrou.

Apesar de saber que o time foi mal ao deixar o Emelec virar por 3 a 2 na última quarta-feira, no segundo tempo, o que ainda tira o sono de Joel são os dois pontos perdidos contra o Olimpia, no Engenhão, em 15 de março. "Estava ganhando por 3 a 0 e mandei o time ainda mais para o ataque. Eles acertaram chutes incríveis e empataram o jogo", justificou.

Joel Santana sabe que a pressão da torcida vai continuar até quinta-feira e que pode mesmo perder o cargo em caso de eliminação do time na competição. Ele diz que o torcedor tem razão em reclamar, mas espera que o placar de 2 a 1 sobre o Vasco tenha servido para alguma coisa.

"No Flamengo é preciso saber mentir um pouco. Dizer que a vitória foi maravilhosa, pelo menos para você poder sair de casa no dia seguinte. Se não conseguirmos a vaga, a vida continua", disse Joel, misterioso.