Preso, italiano admite gol contra de propósito, diz jornal

O novo escândalo de manipulação de resultados que assombra o futebol italiano teria terminado com Andrea Masiello confessando que marcou um gol contra para receber dinheiro. Informações publicadas pelos diários La Repubblica e La Gazzetta dello Sport dão conta de que, após interrogatórios realizados nesta segunda-feira, o jogador acabou confessando a atitude diante das acusações do Ministério Público de Bari.

O MP exigiu a prisão preventiva de Masiello, que na noite de domingo foi detido em Bérgamo, no norte da Itália, onde defendia a Atalanta, e levado para responder às acusações em Bari, no sul do país. O ex-jogador do Bari admitiu ter feito um gol contra de propósito no clássico da província da Puglia entre a equipe alvirrubra e o Lecce, disputado em 15 de maio de 2011.

A vitória de 2 a 0 do Lecce fora de casa na penúltima rodada do Campeonato Italiano permitiu ao time seguir na primeira divisão nacional - o Bari já estava rebaixado naquele momento. No lance do segundo gol, um chute cruzado do Lecce, que iria se perder para a linha de fundo, foi interceptado por Masiello, que tocou a bola para as redes e depois caiu no gramado, mostrando lamentação.

Segundo o diário La Stampa, o defensor teria recebido 50 mil euros (R$ 121,7 mil) para fazer o Bari perder o jogo. O montante em questão, porém, é ainda maior, visto que dois amigos do jogador, Fabio Giacobbe e Gianni Carella, teriam ganhado mais 180 mil euros (R$ 438,2 mil). Os dois estão envolvidos com a máfia das apostas e também foram detidos.

O pagamento aos três teria sido feito por uma pessoa enviada de Lecce que os policiais ainda estão tentando identificar. Na segunda-feira, o procurador Antonio Laudati informou à imprensa que a manipulação do resultado do clássico não estava relacionado a apostas. Caso seja provado que algum dirigente do Lecce tenha acertado a falsificação da partida, o clube correria risco de ser rebaixado.

Além do duelo entre os times rivais da Puglia, mais quatro partidas do último Italiano estão sob investigação: a vitória do Bari sobre o Genoa por 3 a 0 (2 de maio de 2010); o empate entre Udinese e Bari por 3 a 3 (9 de maio de 2010); a vitória por 1 a 0 do Cesena sobre o Bari (17 de abril de 2011); a vitória do Bari sobre o Bologna por 4 a 0 (22 de maio de 2011).

Argentino chamava companheiros de Bari de "vendidos", diz jornal

Nesta terça-feira, o jornal La Stampa divulga outras histórias provenientes das investigações do Ministério Público de Bari. De acordo com o diário, o ex-volante do Bari, o argentino Sergio Almirón, atualmente no Catania, reclamava de alguns dos ex-companheiros, dizendo que eles estavam "vendidos" nas partidas.

Além de Andrea Masiello, que foi suspenso pela Atalanta devido ao escândalo, há outros oito ex-atletas do Bari que estão sendo investigados: Daniele Portanova, Alessandro Parisi, Simone Bentivoglio, Marco Rossi, Abdelkader Ghezzal, Marco Esposito, Antonio Bellavista e Nicola Belmonte.

Jogadores teriam devolvido dinheiro por não conseguirem perder por diferença exigida por apostadores

Destaca-se também, ainda segundo a publicação, a vitória do Palermo sobre o Bari por 2 a 1 no último dia 7 de maio, também pelo Campeonato Italiano. Na ocasião, Masiello, Parisi, Bentivoglo e Rossi teriam recebido 150 mil euros (R$ 365,2 mil) para dividir entre eles, contanto que a equipe da Puglia perdesse para o rival fora de casa por 3 a 1 ou 4 a 1.

Ao final, os atletas não conseguiram atingir o objetivo e teriam devolvido o dinheiro ao grupo de "apostadores sem escrúpulos", conforme definiram os investigadores do caso.