Sem Assunção e Valdivia, Palmeiras vacila e cai em casa para Mirassol  

Desfalcado de Marcos Assunção e Valdivia, o Palmeiras sofreu na noite deste sábado, no Estádio do Pacaembu. Sem a dupla, a equipe de Palestra Itália acabou surpreendida e foi derrotada pelo placar de 1 a 0 pelo Mirassol, que voltou a sonhar com uma vaga à fase de mata-mata do Campeonato Paulista em virtude do resultado positivo conquistado em São Paulo. O atacante Preto, em um arremate com categoria sobre Deola, definiu o placar do confronto, válido pela 17ª rodada.

Derrotado pela segunda vez nos últimos três jogos (perdeu também para o Corinthians, em 25 de março), o Palmeiras permanece estacionado com 35 pontos, dois a menos do que o próprio arquirrival e o São Paulo, principais candidatos à liderança ao final da fase de classificação. Já o Mirassol, com a vitória, chegou aos 21 pontos e diminuiu para cinco a distância do Bragantino, atualmente o oitavo colocado.

Desentrosamento dificulta Palmeiras no Pacaembu

Se já não bastasse a ausência de Valdivia, que teve sua terceira lesão só nesta temporada, o Palmeiras precisou se virar sem Marcos Assunção, Leandro Amaro e Cicinho, todos poupados. E as ausências de quatro titulares se mostrariam importantes na primeira etapa no Pacaembu. Fechado à defesa, o Mirassol soube explorar os erros defensivos dos palmeirenses e poderiam ter levado a vantagem ao vestiário.

Com Wesley, que fez sua estreia no Pacaembu, o Palmeiras criou sua melhor oportunidade aos 16min. Daniel Carvalho, o único substituto que atuou bem, deixou o ex-santista em boa condição para marcar, mas a finalização saiu rente à trave defendida por Fernando Leal.

Nos lances seguintes, o Mirassol ameaçou. Primeiro, aos 21min, após saída errada de Wesley e boa chegada em velocidade de William Simões. Livre, ele bateu para fora. Deola interveio em chute de Henrique Dias, aos 25min, William Simões, aos 37min, e principalmente de Preto, aos 40min. Livre diante da meta, o atacante parou no goleiro palmeirense.

A sucessão de erros defensivos, principalmente com Maurício Ramos, fez o Palmeiras sair para o vestiário sob vaias de seus torcedores que foram ao Pacaembu. Em 45 minutos, o time só chegou na frente em uma ocasião. Mas, apesar das críticas, Luiz Felipe Scolari não realizou mudanças no segundo tempo. Talvez por não confiar no banco com Pedro Carmona, Ricardo Bueno e Patrik.

Mirassol marca e surpreende Palmeiras em São Paulo

O Palmeiras retornou dos vestiários enfrentando as mesmas dificuldades apresentadas durante a primeira etapa. Mesmo com o acúmulo do erro de passes, o clube de Palestra Itália conseguiu levar perigo aos 11min. Wesley chutou cruzado e viu o goleiro Fernando Leal espalmar. No rebote, Daniel Carvalho, pressionado pela marcação, acabou chutando para fora do gol.

A boa oportunidade perdida pelo Palmeiras acabou fazendo a diferença pouco tempo depois. Aos poucos, o Mirassol se soltou em campo e investiu em contra-ataques rápidos para ameaçar o time mandante. E, em uma jogada rápida, o clube interiorano surpreendeu a torcida presente no Pacaembu. Aos 23min, Preto dominou dentro da área e tocou com categoria sobre Deola.

O Palmeiras, e especialmente o público no Pacaembu, sentiram o gol anotado pelo Mirassol. Contratação mais recente do clube de Palestra Itália, o meio-campista Wesley sentiu pela primeira vez a cobrança da exigente torcida palmeirense. Aos 26min, quando foi substituído, o jogador, que foi o objeto de um projeto de marketing antes mesmo de estrear, deixou o gramado vaiado pelo público presente nas numeradas.

O Palmeiras, a partir de então, não conseguiu mais se aproximar da meta adversária, mesmo com uma pressão nos últimos minutos. Em contrapartida, o Mirassol, bem postado defensivamente, se manteve segurou em campo e manteve o resultado positivo até o final.