Gigante de 2,17 m é arma do São Bernardo por semi da Superliga 

Há um gigante no vôlei brasileiro que não para de crescer. Não que Renan Buiatti, 21 anos e 2,17 m, vá ganhar ainda mais centímetros. Mas sua evolução na carreira tem chamado atenção. Ele foi o principal jogador da classificação do BMG/São Bernardo para a segunda fase da Superliga e tem ajudado o time no confronto diante do Sada/Cruzeiro - a série está empatada por 1 a 1 e quem vencer o terceiro jogo se classificará para a semifinal da competição. Renan é a principal aposta do time paulista para a "decisão".

O São Bernardo tinha perdido o primeiro jogo e precisava vencer em casa para forçar a realização da terceira partida. Para isso acionou bastante Renan Buiatti, que não decepcionou. Oposto, canhoto e de potente saque, ele foi um dos destaques, ao lado de Luizinho, na vitória por 3 sets a 1, na última sexta-feira. Após o ponto final, ainda em quadra, ele se mostrou satisfeito com sua atuação.

"Acho que eles (do Sada/Cruzeiro) não esperavam, mas nós estudamos eles e jogamos muito bem hoje. Eu joguei bem, acertei melhor as jogadas com o levantador, então eu gostei. Acho que foi um jogo bem bom", comemorou ele, que foi o sexto maior pontuador da Superliga na primeira fase.

Essa série decisiva é o primeiro grande teste da carreira de Renan Buiatti. Ele sempre chamou atenção por causa da sua altura e até já defendeu a Seleção Brasileira de novos, mas nunca tinha brilhado tanto como nesta temporada da Superliga. De qualquer forma, seus 2,17 m não deixam de se destacar em quadra, mesmo perto de outros jogadores quase tão gigantes quanto ele.

"No jogo a altura só ajuda. Só tenho que receber a bola mais alta sempre, mas só ajuda", disse Renan, mas sem negar que no cotidiano isso costuma atrapalhar. "Tudo tem o lado bom e o lado ruim. Às vezes é complicado. No carro é ruim e para viajar também. Tenho sempre que chegar antes para sentar perto da saída de emergência", comentou o gigante do São Bernardo.

Questionado sobre seu futuro na Seleção Brasileira principal, Renan nem quis criar expectativas ou se alongar sobre o assunto. "Só penso no jogo de sábado agora. Tenho que fazer meu jogo aqui e, se me convocarem, vai ser fruto do meu trabalho", afirmou ele, referindo-se ao confronto diante do Sada/Cruzeiro.

Mas Renan tem um apoio importante no time, que é o seu treinador. Afinal, Rubinho é auxiliar técnico de Bernardinho na Seleção Brasileira masculina. Questionando se pretende contar com o gigante na equipe nacional, ele despistou: "tem tempo para isso ainda. Ele precisa de mais regularidade e temos outros jogadores para a posição", disse ele, lembrando inclusive de Wallace, adversário de Renan nas quartas de final da Superliga.

Já que todos são cautelosos sobre a presença do gigante na Seleção Brasileira, o jeito é mesmo focar na Superliga. "No próximo jogo vai ser complicado, porque o ginásio é menor a torcida fica a dois metros da gente", analisou Renan. O BMG/São Bernardo vai fazer seu confronto decisivo contra o Sada/Cruzeiro no próximo sábado, em Contagem. Quem vencer estará classificado para a semifinal da Superliga, contra Vivo/Minas ou Cimed/Sky/Florianópolis.