"Não sou uma supermulher", diz Azarenka após fim de invencibilidade

A bielorrussa Victoria Azarenka tentou não se deixar abater depois do fim de sua incrível série de 26 jogos sem perder. Após a derrota nesta quarta-feira para a francesa Marion Bartoli nas quartas de final do Premier de Miami, a atual número 1 do mundo citou o cansaço físico sentido nos últimos dias e viu com normalidade seu primeiro revés em 2012.

"Eu sou uma mulher, não uma supermulher. Queria ser, mas não sou", disse Azarenka, sorrindo, depois de cair por duplo 6/3 para Bartoli, atual número 7 do mundo. "Eu estou desapontada, claro. Quem não estaria após uma derrota? Mas tenho que estar muito orgulhosa de mim mesma pelo que eu fiz nos últimos meses", acrescentou.

De fato, Azarenka teve um início fantástico na temporada 2012 e entrou para a história como a segunda melhor série em um início de ano: foram 26 vitórias e os títulos de Sydney, Aberto da Austrália, Dubai e Indian Wells. Apenas a suíça Martina Hingis, que venceu 37 partidas consecutivas em 1997, conseguiu ser mais vitoriosa em um começo de ano.

Apesar da derrota, e de não defender o título de Miami conquistado no ano passado, a bielorrussa segue confortável na primeira posição do ranking da WTA. Azarenka possui 9.730 pontos (dos quais perderá 750 pela derrota nas quartas de final), contra 7.930 da russa Maria Sharapova (que precisa defender o vice-campeonato do Premier na Flórida) e 7.170 da checa Petra Kvitova, eliminada logo na segunda rodada pela americana Venus Williams.