Valcke diz que atitude de ministro Aldo Rebelo foi ‘infantil’

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, afirmou neste sábado que considerou "um pouco infantil" a decisão do Brasil de não aceitá-lo mais como interlocutor da entidade, após suas pesadas críticas ao atraso nos preparativos para a realização da Copa de 2014.

"Se o resultado [de minhas declarações] é que não querem mais falar comigo, se não sou a pessoa com quem querem trabalhar, então é um pouco infantil. Vou viajar ao Brasil no dia 12 de março", afirmou Valcke.

O ministro de Esportes, Aldo Rebelo, anunciou em entrevista coletiva na manhã deste sábado que não voltaria a aceitar Valcke como interlocutor, depois que o representante da Fifa afirmou que os organizadores do Mundial precisavam de "um pontapé no traseiro" para acelerar os preparativos.

"A interlocução do governo [brasileiro] não pode ser através de quem emite declarações intempestivas", disse o ministro Rebelo, ao enfatizar que as declarações de Valcke foram "impertinentes, com expressões desapropriadas para tratar relações de interesse entre a secretaria e o país sede.