Andrés Sanchez se retrata e nega ter chamado Leão de mentiroso 

O diretor de Seleções da Confederação Brasileira de Futebol, o ex-presidente corintiano Andrés Sanchez, foi a público nesta segunda-feira negar que tenha chamado o técnico Emerson Leão, do São Paulo, de mentiroso, em episódio recente envolvendo a liberação do atacante Lucas à Seleção Brasileira.

"Não foi minha intenção dizer que Leão mentiu ou é mentiroso. O que eu quis dizer é que não acreditava na notícia com informação atribuída a ele, que a notícia, sim, era mentirosa", afirmou o dirigente, em comunicado divulgado no site oficial da CBF.

Na última sexta-feira, em entrevista por telefone ao Arena Sportv, Andrés Sanchez usou os adjetivos "mentiroso" e "irresponsável" ao comentar a declaração de Leão dando conta que Lucas teve um pedido da CBF para forçar o terceiro cartão amarelo e não ter que defender sua equipe. O dirigente estava tão revoltado que prometeu entrar com uma representação contra Leão.

"(Leão) é irresponsável por falar uma coisa destas. Ele vinha tão bem como treinador, mas acho que voltou ao passado. Ele que me dê o nome de quem foi (que teria feito o pedido a Lucas para que forçasse o cartão) que será demitido na hora da CBF", disse Sanchez. Posteriormente, Leão rebateu as declarações do ex-mandatário do Corinthians.

"Conheço pouco o Andrés, tive uma excelente impressão conversando com ele em um velório. Ele sabe que não conto mentira. Telefonei para ele, mas ele não me atendeu. O que me contaram (um comentário para Lucas forçar o terceiro amarelo a fim de evitar um 'stress' entre o São Paulo e a CBF) foi verdade. (...) Estou à disposição para esclarecer as coisas, mas não sou mentiroso", disse.