Jornal: dirigente paga multas para Seleção de badminton jogar

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, um dirigente anônimo pagou o valor de R$ 5.820 à BWF (Federação Mundial de Badminton) referente a 18 multas atrasadas que impediam os atletas brasileiros de badminton de participar de competições internacionais. As taxas são punições por W.O. (não comparecimento a um torneio), em duas competições realizadas em maio e junho. A CBBd (Confederação Brasileira de Badminton) está sem presidente desde maio, e o interventor do órgão, Alexandre Sampaio, declarou que pagaria as multas, mas que alguém que prefere o anonimato já o fez na última quinta-feira.

Com isso, os atletas Yasmin Cury, Fabiana da Silva, Luana Vicente, Lohaynny Vicente, Hugo Arthuso, Alex Tjong e Luís dos Santos estão liberados para jogar torneios fora do País. Principal nome do Brasil na modalidade, Daniel Paiola - medalhista de bronze no Pan de Guadalajara - já havia tido sua liberação negociada por Sampaio com a BWF. O badminton brasileiro não tem patrocínio.