Imprensa espanhola se volta contra tribunal após punição a Contador 

A imprensa espanhola se voltou contra o Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) após divulgar a notícia da suspensão de dois anos do ciclista Alberto Contador nesta segunda-feira, por caso de doping. O órgão foi alvo de pesadas críticas, especialmente pelo fato de a decisão ter sido anunciada de forma tão tardia. Sua consequência é tirar dos Jogos Olímpicos de Londres um potencial medalhista.

Alberto Contador foi pego no exame antidoping durante a Volta da França, em julho de 2010. A substância encontrada foi clembuterol, que serve para ajudar a perder gordura corporal. O ciclista alegou que havia ingerido carne contaminada. Nesta segunda-feira, 18 meses depois do caso, ele foi condenado a dois anos de suspensão, perdendo o título da principal competição do ciclismo, e também do Giro da Itália de 2011.

A pena é válida a partir do momento em que Contador foi pego no antidoping, mas mesmo assim ele não poderá competir nos Jogos de Londres. Sua punição termina em 5 de agosto. A Olimpíada será disputada entre 27 de julho e 12 de agosto. Por conta disso, um dos colunistas do jornal Marca, Álvaro Roca Cabeza, pediu em texto publicado após a decisão: "que se acabe a mentira do TAS (Tribunal Arbitral do Esporte)".

Os jornais da Espanha também repercutiram com ênfase a opinião de ciclistas sobre o caso. Ao As, o belga Eddy Merckx, uma lenda do esporte, declarou: "alguém quer a morte do ciclismo". Já Pedro Delgado, outro ciclista de destaque mundial, disse ao Marca: "se Contador fosse menos conhecido, a sanção teria sido menor". Na capa da versão digital, a manchete era contestadora: "condenado... 556 dias depois".

A publicação ainda criou enquete com a pergunta "você acha que a sanção do TAS a Contador é justa?". O resultado parcial indicava vitória esmagadora do "não" sobre o "sim", com 85% dos votos. O jornal El País, por sua vez, chamou a atenção para os recentes casos de doping no ciclismo sob a manchete: "uma década turbulenta".