Barão vence, mantém longa invencibilidade e pede cinturão

Sem perder desde 2005, o brasileiro Renan Barão conquistou uma importante vitória na madrugada deste domingo. O lutador potiguar derrotou o americano Scott Jorgensen por decisão unânime dos juízes (30/27, 30/27 e 30/27) e conseguiu uma ótima posição para buscar o cinturão dos pesos galos do Ultimate Fighting Championship - o atleta deve ser o desafiante de quem vencer o combate entre Dominick Cruz e Urijah Faber.

Depois de aumentar o retrospecto positivo para 28 vitórias seguidas (o brasileiro tem apenas um revés na carreira), Barão minimizou a dificuldade do combate. "Toda luta é difícil, ele é um grande atleta, mas consegui ter um resultado positivo", disse, antes de fazer um pedido à direção do UFC. "Dana White, eu quero o cinturão", berrou o atleta nacional ao microfone de Joe Rogan.

Durante o primeiro round, o brasileiro manteve o controle do octógono e demonstrou um grande trabalho defensivo. O potiguar evitou as três tentativas de queda do adversário e colocou o rival em posição desfavorável na grade. Barão ainda acertou um chute giratório, parecido com o executado por Edson Barboza no UFC 142; contudo, o golpe não registrou a mesma força. Jorgensen, mesmo atingido, não caiu no solo.

O brasileiro seguiu bem na tentativa de quedas durante o segundo round. Contudo, diferentemente da primeira parcial, Barão atacou o adversário no chão para tentar uma posição favorável, a qual não obteve. Em pé novamente, o atleta nordestino baixou um pouco a guarda e permitiu ao americano acertar alguns socos durante a trocação. Mas nada que tirasse a confiança e a vantagem do atleta de Natal.

Scott Jorgensen buscou aumentar a intensidade na trocação e dificultou o trabalho do brasileiro. Ameaçado, Barão conseguiu conter o jogo do adversário e também encaixar bons golpes, convencendo os juízes sobre a vitória do futuro desafiante ao cinturão dos pesos galos do principal evento de artes marciais mistas do mundo.

O americano Ed Herman acabou sendo o protagonista da primeira luta do card principal do UFC 143. Com uma atuação sólida no chão, Short Fuse, como é conhecido dentro do mundo do MMA, encaixou um mata-leão, com 1min43 do segundo round, e derrotou o compatriota Clifford Starks, em confronto válido pela categoria dos médios.

Herman conseguiu segurar o ímpeto do adversário durante o primeiro round e aproveitou um momento de cochilo de Starks para acabar com o combate. Logo no início da segunda parcial, Short Fuse arrastou o calcanhar com a perna direita e conseguiu levar o combate para o solo.

Faixa preta de jiu-jitsu, o atleta de Washington conseguiu a transição para as costas, posicionamento que decidiu o combate. Com categoria, Herman encaixou um mata-leão e finalizou a luta, obtendo a terceira vitória dentro do evento mais famoso de lutas da atualidade.

Koscheck decepciona, mas vence "clone" Pierce em decisão polêmica

Josh Koscheck cumpriu a promessa na noite deste sábado e venceu o "clone" Mike Pierce. Um dia depois de ver o rival vestir uma peruca em coloração igual ao do seu cabelo, Koscheck teve uma atuação abaixo do esperado, mas conseguiu vencer o rival por decisão dividida (28/29, 29/28 e 29/28). O anúncio de Bruce Buffer foi seguido por vaias do público presente ao Mandalay Bay Center, em Las Vegas.