Mano defende Luxemburgo e critica demissões: "não mudamos nada"

Presente ao lançamento da nova camisa da Seleção, nesta sexta-feira, no Rio de Janeiro, o técnico Mano Menezes comentou a polêmica demissão de Vanderlei Luxemburgo do Flamengo, consumada na última quinta. O treinador do Brasil ficou do lado de seu colega de profissão e aproveitou para criticar a "cultura" do futebol brasileiro, de não dar tempo hábil para que os técnicos mostrem resultado.

"Vi uma estatística que apontava que, somente neste ano, 24 treinadores já foram demitidos (no Brasil)", lamentou Mano. "Isso porque começamos os campeonatos regionais por volta do dia 15. Isso prova que não mudamos em nada nossa cultura, e que continua sendo muito difícil ser técnico no Brasil", criticou, apontando que trabalhos mais longos costumam render resultados melhores em campo.

"Eu acredito que eu seja uma exceção nesse aspecto, por vir de dois longos trabalhos (Grêmio, de 2005 a 2007, e Corinthians, de 2008 a 2010). E se você analisar bem, como foi por exemplo o próprio Muricy Ramalho no São Paulo, quando isso acontece, os resultados são mais efetivos. Basta olhar para trás. Mas infelizmente não estamos conseguindo fazer isso", disse o treinador, que assumiu a Seleção Brasileira no lugar de Dunga, após a eliminação na Copa de 2010.

Para Mano, um ponto que pode ajudar na manutenção dos treinadores nos clubes por mais tempo é a tendência das equipes brasileiras de contratar atletas do futebol europeu. "Quem sabe com os jogadores vindo mais para cá, a gente não consiga fazer um trabalho com uma maior sustentação", projetou o técnico.