Wenceslau minimiza derrota após lutar "obrigado" e elogia algoz 

A derrota na semifinal da seletiva fechada realizada pela Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKD) tirou Márcio Wenceslau da Seleção Brasileira da modalidade, mas não alterou em nada seu planejamento para 2012. Nesta quarta-feira, ele contou ao Terra que lutou praticamente "obrigado" enquanto continua sonhando com vaga olímpica, e fez questão de elogiar o seu algoz.

Wenceslau não esperava ter que participar da seletiva em Aracaju, já que aguarda uma apelação do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) junto ao Comitê Olímpico Internacional (COI) para conseguir vaga à Olimpíada de Londres. Isso porque considera que foi derrotado na semifinal do Pré-Olímpico das Américas, em novembro de 2011, por conta de um erro de arbitragem - o chute que definiu a vitória do mexicano Damián Villa não teria acertado seu rosto.

"Essa derrota não faz diferença nenhuma porque essa competição não era meu objetivo. Fui praticamente forçado a ter que lutar por não ter uma resposta ainda sobre se vou ou não para a Olimpíada de Londres. O certo seria eu pegar férias após o Pré-Olímpico e depois focar nos Jogos Olímpicos. Como teve rolo todo porque 'meteram a mão' na minha luta, tive que participar", disse Wenceslau, por telefone.

Elogios ao vencedor

Sem a preparação adequada, Márcio Wenceslau foi eliminado na semifinal da seletiva por Guilherme Dias. Seu algoz foi merecedor de elogios. "A seletiva foi boa, de altíssimo nível. Perdi para um moleque novo e muito bom, com um biótipo diferente, já adaptado ao colete eletrônico", contou o atleta, que ainda não treina com o aparelho recentemente adotado pela Federação Internacional. Esse foi um dos maiores trunfos de seu rival em Aracaju.

"Quem treina com o colete está com 10 mil passos de vantagem para quem não treina. Como não tenho, me sinto um pouco atrasado. E o Guilherme tem. Se você usa, pega vários macetes de como pontuar", explicou. Além disso, admitiu que foi para a luta sem se preparar de forma adequada, ciente de que teria um rival de qualidade, mas sem estudá-lo a fundo, ao contrário de Guilherme, que conseguia antever seus movimentos.

"Ele é um atleta que desde o ano passado estava se preparando para lutar com o Márcio Wenceslau, entendeu? A questão do vídeo é muito benéfica no taekwondo, e infelizmente ele tinha todos os meus vídeos, e eu não tinha nenhum dele, até porque meu objetivo não é ganhar dos brasileiros, mas sim de atletas internacionais", apontou Wenceslau.

O lutador se disse surpreso com a alta estatura de Guilherme Dias. Para ele, seu algoz tem tudo para brilhar na nova geração do taekwondo - mas com uma ressalva. "Ele é um atleta muito bom e tem total capacidade de crescer no taekwondo, mas desde que esse crescimento não seja baseado no (triunfo sobre o) Márcio Wenceslau. Que seja baseado em competições internacionais, que agora ele vai disputar com a Seleção Brasileira."