Com Frizzo acuado, Tirone já fala abertamente sobre demissão

Com a continuidade bastante questionada e ameaçado de demissão no departamento de futebol do Palmeiras, o vice-presidente Roberto Frizzo tem a situação analisada por Arnaldo Tirone. Nesta quarta-feira, o presidente alegou ter poder para trocar as peças na diretoria, o que é desejo expresso de Luiz Felipe Scolari, cada vez menos alinhado a Frizzo.

"O presidente tem poder de remanejar a diretoria. Vamos analisar melhor a situação, o Frizzo sabe muito bem e não tem apego ao departamento. Se tiver que fazer (demissão), vou fazer", afirmou Tirone. Segundo ele, também é possível haver mudanças em outros setores, caso do marketing. "Vamos fazer o que for bom ao Palmeiras".

Arnaldo Tirone deu a entender que o próprio vice de futebol, acuado neste momento, pode abrir mão do cargo. "Ninguém é eterno. Eu não sou eterno e o Frizzo sabe o que tem que fazer. Ele gosta do Palmeiras como todos gostam e tem inteligência para conversar. Não tem afobação, vamos conversar da melhor forma possível".

Os desentendimentos entre Felipão e Frizzo são antigos e se ampliaram nas últimas semanas por atitudes do vice-presidente. Contratações como a do meia Wagner, por exemplo, não se concretizaram por deslizes do dirigente, que era contrário à contratação do argentino Hernán Barcos e foi voto vencido entre o treinador e Tirone.