Português repete Villas Boas e busca surpresa no caminho corintiano  

Há um português no caminho do Corinthians, um dos melhores times da Copa São Paulo até aqui. Na esteira de compatriotas de sucesso como José Mourinho e André Villas Boas, hoje em Real Madrid e Chelsea, respectivamente, Marc dos Santos também tenta sucesso no exterior.

Comandante do Primeira Camisa, equipe criada por Roque Júnior, em São José dos Campos, ele já chegou entre os 16 melhores na Copinha. O duelo com os corintianos por um lugar nas quartas de final ocorre às 16h (de Brasília) desta terça-feira.

Entre Mourinho e Villas Boas, Marc talvez esteja mais para o segundo. Ambos têm 34 anos e começaram as carreiras em países menos convencionais. André, aos 23 anos, era treinador da seleção das Ilhas Virgens Britânicas. Dali, virou assistente de Mourinho no Porto, Chelsea e Inter de Milão, até dar início à carreira solo.

Marc também pautou a formação da carreira de maneira acadêmica. É formado no badalado curso de treinadores da Uefa e, entre estágios importantes no Porto e no Chelsea, já teve um grande feito. No Montreal Impact, foi treinador campeão canadense de 2010. Agora, tem objetivos no futebol brasileiro.

"Minha ideia mesmo é de ficar no Primeira Camisa (deve assumir os profissionais). É onde tenho que ficar. Quero crescer no futebol brasileiro, ir o mais longe possível neste futebol muito competitivo", conta Marc ao Terra.

O objetivo dele também é formar jogadores com perfil que agrade equipes estrangeiras. "A primeira coisa é fazer o jogador entender as características necessárias para jogar na Europa e em todo lugar do mundo".

Na medida em que tenta fazer os jogadores do Primeira Camisa assimilar alguns novos conceitos, Marc também se adapta ao Brasil. E, segundo ele, tudo tem sido muito simples. "Já vivi na África, Portugal e América do Norte. Não foi um grande choque cultural, o povo brasileiro é muito bom".

Com três vitórias e um empate na Copa São Paulo 2012 até esse momento, ele faz uso de uma velha tática no futebol e transfere a responsabilidade de vitória para o Corinthians. "Eles são os favoritos, a pressão está em cima deles. Mas temos uma ideia muito clara e acreditamos que não é impossível. Podemos criar uma surpresa, não vamos com medo".