Federer descarta ser técnico das filhas e passa "tarefa" à mulher 

Roger Federer foi uma das primeiras "vítimas" das entrevistas bem-humoradas feitas pelo ex-tenista Jim Courier ainda em quadra, logo após as partidas do Aberto da Austrália. Nesta segunda-feira, o suíço foi questionado se toparia no futuro treinar as duas filhas pelo circuito profissional de tênis. Rindo, ele fugiu da função e a transferiu à mulher, Mirka Vavrinec.

"É claro que você treinaria, certo? Não há muita escolha eu acho, mas eu felizmente passaria isso, talvez, à minha mulher. (Mas) eu não acho que ela gostaria de fazer isso também", disse Federer, antes de parar de falar porque não conseguia mais segurar os risos. Neste momento, as câmeras de televisão focaram a imagem de Vavrinec, que acompanhava de perto o marido dos camarotes da Rod Laver Arena. Com a mão, ela fez um sinal de não, negando-se a cumprir a "tarefa".

"Eu não queria ser esse cara que fica na quadra (acompanhando o atleta o qual treina)", prosseguiu o número três do mundo, antes de completar. "Se elas (as filhas) jogaram tênis, seria ótimo; se não jogarem, ótimo também. Fazer esporte seria legal, mas nós vamos apoiá-las de qualquer modo".

Federer, 30 anos, conheceu Vavrinec, 33, durante os Jogos Olímpicos de Sydney 2000. Mirka nasceu em Bratislava, na Eslováquia, mas defendia a Suíça no tênis internacional até se aposentar precocemente, devido a uma série de lesões, em 2002. Desde então ela se dedica a auxiliar na carreira do marido como empresária e relações-públicas. Os suíços se casaram em abril de 2009. Dois meses depois nasceram as gêmeas Charlene Riva e Myla Rose.

Em Melbourne, o americano Courier, 41 anos, que durante a carreira venceu duas vezes o Aberto da Austrália e duas vezes Roland Garros, dedica-se ao papel de entrevistador logo depois das partidas.

Ele costuma formular perguntas bem-humoradas, como esta feita a Federer nesta segunda, quando o campeão de 16 Grand Slams estreou no torneio vencendo o russo Alexander Kudryavtsev por 7/5, 6/2 e 6/2.

Segundo Courier, a questão sobre um possível futuro do suíço como treinador das filhas foi sugerida por um telespectador do Channel Seven, pelo qual o ex-tenista trabalha durante o primeiro grande torneio de tênis do ano.

Federer, que nesta segunda-feira minimizou ainda a lesão sentida há duas semanas no ATP 250 de Doha e negou sentir dores nas costas, volta à quadra para enfrentar o alemão Andreas Beck na próxima quarta-feira. Caso vença, chegará à terceira rodada do evento e provavelmente encarará também Courier durante mais uma curiosa entrevista.