Alonso afirma que Red Bull não dominará em 2012

Após terminar a temporada 2011 da Fórmula 1 na quarta colocação, com 257 pontos, o piloto da Ferrari, Fernando Alonso, se mostrou bastante confiante para a próxima temporada. Mostrando-se otimista, o espanhol afirmou que a Red Bull não terá a mesma superioridade que teve neste ano, quando Sebastian Vettel marcou 392 pontos e foi campeão com quatro corridas de antecedência.

Já com a temporada de 2012 em vista, o bicampeão mundial afirmou que tem consciência de que os rivais virão fortes no próximo ano, e por isso acredita que o vencedor do Mundial será definido por um ou dois décimos, e não por uma diferença abismal como foi em 2011.

Destacando a grandeza do time chefiado por Stefano Domenicali, Alonso disse que o período de desenvolvimento do carro da escuderia italiana é cercado de otimismo, assim como a pré-temporada do Real Madrid. Para o espanhol, a Ferrari é a maior equipe de Fórmula 1 do mundo e sempre tem obrigação de ser campeã. No entanto, apesar do otimismo, o bicampeão afirmou que a real capacidade do próximo carro da equipe será conhecida apenas em fevereiro, quando o monoposto for testado nas pistas.

Alonso, que pilota pela Ferrari desde 2010, negou que tenha vivido anos ruins. O espanhol preferiu destacar a última temporada, quando chegou ao Grande Prêmio de Abu Dhabi na liderança do campeonato, mas acabou perdendo o título para Vettel. O ferrarista também ressaltou seu desempenho neste ano, pois no GP do Brasil, última etapa da temporada, ainda brigava pelo título.

Amplamente superior ao seu companheiro de equipe, Felipe Massa, que terminou o Mundial apenas na sexta colocação, com 118 pontos, Alonso diminuiu a importância deste feito, afirmando que as diferenças ocorrem acontecem por outros fatores ou sorte. Na visão do bicampeão, as corridas têm uma importância menor quando o piloto não está lutando pelo título da competição.

Competindo na Fórmula 1 desde 2001, com uma pausa em 2002, o espanhol destacou o fato de nunca ter pontuado menos que um companheiro numa temporada. Somente em 2007, quando competiu pela McLaren, Alonso não superou um companheiro de equipe, terminando o ano com a mesma pontuação de Lewis Hamilton, estreante da categoria naquele ano.

Por último, Alonso desejou sorte a Kimi Raikkonen, que volta à principal categoria do automobilismo mundial após dois anos e foi qualificado pelo espanhol como um grandíssimo piloto, um dos mais talentosos do grid, campeão do mundo e uma pessoa fantástica.