Santista ignora Mundial, vê vitória do handebol e surpreende Seleção 

O que tiraria um santista da frente da televisão neste domingo de final de Mundial de Clubes contra o Barcelona? Talvez um compromisso profissional, alguma emergência ou até mesmo o sono, que terá impedido um ou outro torcedor de se levantar às 8h30 para assistir à partida. Mas um outro caso curioso chamou a atenção no Ginásio do Ibirapuera: um fã, com camisa do clube e tudo, via a decisão de quinto lugar entre Brasil e Rússia pelo Campeonato Mundial feminino de handebol. E, não fosse o radinho de pilha no ouvido, parecia não se importar tanto com a importante decisão do outro lado do mundo.

O curioso torcedor em questão, fã de handebol, até viajou a São Paulo para ver a despedida da Seleção Brasileira do Mundial. O estudante Guilherme, 12 anos, subiu a serra em direção à capital acompanhado de um amigo, da mãe Lizete e de uma amiga dela, e demonstrou todo a paixão pelo esporte com as mãos.

"Jogo handebol no colégio e vim acompanhando o Mundial", disse Guilherme, que prestigiou ao vivo uma partida da Noruega na primeira fase, no grupo sediado na Baixada Santista. Vestido com camisa oficial do Santos e tudo, o jovem mostrava um ar desolado durante o intervalo das duas partidas. Naquele momento, o time de Muricy Ramalho perdia por 3 a 0 para o forte Barcelona.

"A gente sabia que o Santos não tinha chance nenhuma. Contra o Barcelona... não ia dar", comentou Lizete, que lamentou bastante o fato de não poder ter acompanhado os jogos da Seleção Brasileira de handebol em nenhum canal de televisão aberta.

A presença do santista no Ginásio do Ibirapuera durante a final do Mundial de Clubes chamou a atenção até mesmo a Seleção Brasileira. Depois da vitória por 36 a 20 sobre as russas, tanto atletas quanto o técnico Morten Soubak ficaram surpresos com a presença de Guilherme.

"Um santista já é mais do que eu esperava aqui", brincou Morten, que se surpreendeu inclusive com o público de 1,5 mil torcedores no Ibirapuera, segundo dados oficiais. "Não esperava isso, sinceramente. E agradeço em nome de toda a equipe por tanta gente ter vindo nos ver às 9h. Mostramos que conseguimos conquistar a torcida e fazer o pessoal pensar que hoje era o dia de ver as meninas do handebol", acrescentou.

A armadora Duda Amorim também demonstrou bastante surpresa com o jovem santista no ginásio. "Isso é inédito, conseguimos até roubar alguém do futebol. É algo importante demais para a gente", festejou a camisa 18, apoiada pela ponta Fernanda. "Mostramos que, independentemente do futebol, tem muita gente se aproximando do handebol. Nunca tivemos tanta torcida como agora", declarou.

No Ibirapuera, Guilherme ao menos pôde festejar a goleada do Brasil por 36 a 20 sobre a Rússia e a conquista de um inédito quinto lugar para a Seleção. Enquanto isso, o Santos acabou derrotado na final pelo Barcelona por 4 a 0 e falhou na tentativa de ser tricampeão mundial.