"Agressivo", Santos quer fazer Barça "provar do próprio veneno" 

Acostumada a jogar na base do contra-ataque e da velocidade, a equipe do Santos promete mudar um pouco sua tática para enfrentar o Barcelona. Querendo fazer a equipe catalã provar do próprio veneno, o time alvinegro quer tentar se manter o maior tempo possível com a posse de bola, especialidade da equipe do técnico Pep Guardiola.

Como afirma o lateral Danilo, a experiência será inusitada para a equipe praiana, já que o Santos nunca foi um time paciente, de esperar abrir brechas para chegar ao gol adversário. Os comandados de Muricy Ramalho com frequência atuam partindo para o ataque, sem tocar bola no setor defensivo.

"É complicado evitar a posse de bola, uma das principais características deles. A nossa equipe não tem muito essa característica de posse de bola, mas temos um contra-ataque muito rápido, uma saída em velocidade", disse o lateral Danilo.

"Quando pegar a bola, temos que ficar mais tempo com a bola, no jogo de ontem o Al-Sadd perdia a bola muito rápido. Com nossos jogadores a gente tem muita qualidade e pode criar algum tipo de perigo também...É um risco que tem de correr, porque se lançar bola toda hora, dominam e ficaremos sempre atrás. Tem que trabalhar bola, temos uma linha de frente muito rápida, se passar essa linha de marcação, sera interessante pra gente", completou o meia Elano.

Para conseguir esse esquema de ter sempre a bola no seu pé e dominar as ações do jogo, a tática do Santos deve ser abafar o Barcelona na saída de bola, com uma defesa mais agressiva. Segundo os jogadores alvinegros, o ideal é não deixar a equipe adversária pensar muito para onde tocar e encurtar as opções de passe dos catalães.

"Temos que tentar diminuir o espaço, mesmo sabendo que é difícil, até porque eles têm muita paciência, quando a bola está na frente e eles estão pressionados, volta a bola no goleiro. Não tem vergonha de voltar o jogo. Vamos tentar diminuir ao máximo os espaços, mas vai ser muito difícil fazer isso", afirmou o volante Arouca.

Para o zagueiro Edu Dracena, um cochilo sequer pode acabar com as chances do Santos de levar o título mundial. "Não pode dar espaço, em 90 minutos pode tirar quatro bolas, Se uma eles passam, porque sao talentosos, podem deicidir um jogo. Temos que entrar mais de 100% concentrado e fazer nosso jogo".