Pé frio de Barrichello faz vascaínos viajarem 1500 km e crer em título

A visita de Rubens Barrichello ao Corinthians, no início da semana, foi o ingrediente que faltava para o vascaíno João Bosco, corretor de imóveis em Barra do Garça, no Mato Grosso, resolver encarar a distância de 1500 km até o Rio de Janeiro. Ele se juntou a um grupo de outros 12 amigos, todos cruzmaltinos, e confirmou a presença em uma das finais deste domingo do Campeonato Brasileiro, no Engenhão, contra o Flamengo.

"Depois que o Barrichello abraçou o Tite, não tive dúvida, o título é do Vasco. O cara é muito pé frio", brinca João Bosco. "Estou até mais confiante no Palmeiras por conta disso. Vai ser 1 a 0, gol de falta do Marcos Assunção", crava o torcedor mais experiente da turma de 13 amigos. Na quase caravana, que chegou ao Rio de avião na quinta, também está o engenheiro florestal Luciano, já satisfeito pela temporada da equipe.

"Independente do que acontecer, o Vasco já está no lucro, levantou a autoestima da torcida. Eram nove anos sem títulos. Ganhamos a Copa do Brasil, fomos bem na Sul-Americana e estamos na briga pelo Brasileiro", relata. A turma é amiga de Chicão, pai do volante vascaíno Nílton, ambos também de Barra do Garça. Nesta Série A, eles haviam ido ao Serra Dourada, onde um gol de Felipe valeu vitória sobre o Atlético-GO logo nas primeiras rodadas.

O grupo de 13 amigos ajuda a formar o bom público de torcedores que comparecem em São Januário, nesta sexta, no Rio. Se estima que 400 vascaínos foram acompanhar a atividade, penúltima antes do clássico com o Flamengo.

Com 68 pontos, o Vasco depende de vitória e também de tropeço do Corinthians, que lidera com 70 pontos e só precisa de um empate para confirmar o título contra o Palmeiras.