Laudo: mulher que acusa Marcelinho Paraíba de estupro foi agredida

Os resultados de exame de corpo de delito na Unidade de Medicina Legal (UML) de Campina Grande (PB), divulgados nesta sexta-feira, apontam que a advogada Rosália de Abreu, que acusa o jogador de futebol Marcelinho Paraíba de estupro, sofreu agressões físicas. Ela teria apresentado hematomas e lesões no pescoço, no couro cabeludo e nos lábios. O caso passou a ser investigado pela Delegacia da Mulher, a cargo da titular Herta França. As informações são da GloboNews.

Marcelinho afirmou, em entrevista na sede do Sport na quinta-feira, que é vítima de armação. "Sou inocente e o que eu tenho a falar é que é tudo uma mentira, uma armação", garantiu, negando que tenha tentado beijar a mulher. O atleta foi preso na madrugada de quarta-feira com dois amigos, suspeito de estuprar uma mulher de 31 anos em seu sítio, localizado no bairro Nova Brasília, em Campina Grande. A suposta vítima da agressão seria irmã do policial Rodrigo do Rego Pinheiro, titular da delegacia do distrito de São José da Mata. Cerca de 30 pessoas participavam de uma festa no sítio do jogador no momento da suposta agressão. Após receber a denúncia, a polícia foi ao local e o levou à delegacia.