Teixeira deve confirmar Ronaldo hoje como presidente do COL

Uma entrevista coletiva às 12h desta quinta-feira (de Brasília), com o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, deve oficializar o que já é dado como certo desde terça-feira: Ronaldo irá assumir o comando do Comitê Organizador Local para a Copa do Mundo de 2014. A descentralização de poder foi iniciada por Teixeira com a passagem de bastão para Andrés Sanchez, anunciado diretor de seleções para 2012 na última semana. O passo seguinte será dado nesta quinta.

A CBF, em comunicado bastante objetivo, apenas anunciou que Teixeira concederá entrevista coletiva, mas não confirmou que Ronaldo será o presidente do COL. Também é esperada a presença do ex-jogador, criador da Agência Publicitária Nine que atende jogadores da Seleção, casos de Neymar, Lucas e Leandro Damião, e tem relação com parceiros da mesma CBF, caso da Ambev e da Nike.

As duas movimentações mais recentes de Teixeira têm objetivos muito claros. O principal deles é dividir os holofotes, hoje muito concentrados em si, e concentrar os esforços na defesa de escândalos que pairam em torno de sua administração. O mais importante deles é a promessa feita por Joseph Blatter, presidente da Fifa, de que o processo que envolveu a extinta ISL será reaberto após ser mantido em sigilo pela Justiça Suíça desde o último ano.

A previsão é de que os segredos da investigação sejam levados a público no próximo mês e a britânica BBCafirma que Teixeira seria um dos principais atingidos com as revelações. Um resultado ruim jogaria por terra seus planos de concorrer de forma pesada à presidência da Fifa em 2015. Ressurgir nos bastidores com a descentralização de poder em nível doméstico é a meta de Teixeira, que também pretende usar a dupla Ronaldo-Andrés Sanchez a seu favor em outra estratégia.

Acuado pelo pulso firme da presidente Dilma Rousseff, ele também tentará aparar suas arestas junto ao Governo Federal com a utilização de dois agentes com trânsito em Brasília, justamente Ronaldo e Andrés, amigos pessoais do ex-presidente Lula. No passado, a ideia de Teixeira era ter Pelé como presidente do COL, o que não se concretizou pelo distanciamento do ex-jogador.

Nomear Pelé "embaixador honorário do Brasil para a Copa 2014", em julho, foi demonstração de afronta a Teixeira por parte de Dilma. Semanas depois, no sorteio das Eliminatórias da Copa, no Rio de Janeiro, foi visível aos olhos do público presente o distanciamento entre a presidente e Ricardo Teixeira.

Na última segunda-feira, no Rio, o novo ministro dos Esportes, Aldo Rebelo, foi breve ao ser questionado sobre Ronaldo no COL. "Espero não ser consultado", afirmou. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, Aldo se reuniu com o ex-jogador no dia seguinte. O cargo a ser ocupado pelo sucessor de Teixeira é idêntico aos de Franz Beckenbauer, na Copa de 2006, e Michel Platini, na Copa de 1998.

Acostumado às responsabilidades em seus tempos de jogador, Ronaldo terá nas mãos o primeiro cargo de grandeza menos de um ano após pendurar as chuteiras. Neste período, ele fundou a Agência Nine e assinou contratos com esportistas como os jogadores Neymar, Lucas, Leandro Damião e Falcão, do futsal. Seu projeto mais ambicioso foi a ascensão do lutador Anderson Silva, eleito o homem do ano pela revista QG, e personagem principal para que a TV Globo, enfim, se rendesse ao UFC em televisão aberta. Ronaldo ainda intermediou o patrocínio da Duracell ao Flamengo.