Reforma na Fifa visa impedir candidatura de Teixeira

De acordo com o jornal O Estado de S. Paulo, as reformas na Fifa propostas pelo presidente Joseph Blatter na última quarta-feira têm como real objetivo impedir uma candidatura do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, ao cargo máximo da entidade que comanda o futebol mundial em 2015. Reeleito neste ano em meio a denúncias de corrupção na Fifa, Blatter propôs um projeto denominado "Ficha Limpa", segundo o qual dirigentes com condenações, processos ou investigações na Justiça não poderiam assumir cargos na entidade - Teixeira é alvo de processo no Brasil por conta de pagamento de propinas envolvendo a empresa de marketing esportivo ISL, parceira da Fifa nos anos 1990.

Outro aspecto do projeto que teria sido desenhado para atingir Teixeira é o fim dos "mandatos eternos". A medida não atingiria Blatter, que deixará a entidade em 2015 para apoiar a candidatura do presidente da Uefa, Michel Platini; contudo, afetaria aliados do cartola brasileiro, como o argentino Julio Grondona e o paraguaio Nicolás Leoz, há décadas ocupando cargos na Fifa. A publicação também afirma que Teixeira passou os últimos cinco dias em Zurique, sede da Fifa, mas recusou convites para reuniões e enfureceu a cúpula da entidade ao convidar Ronaldo para integrar o Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014 sem o consentimento do órgão que comanda o futebol mundial.