Parapan: Brasil leva 4 ouros, bate recordes e fica em segundo na natação

Só no segundo dia das disputas de natação dos Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara, o Brasil conquistou 14 medalhas. Foram quatro ouros, cinco prata e cinco bronze, que deixaram o país em segundo no quadro geral da modalidade, empatado em ouros com o México, que tem cinco pratas a mais que o Brasil.

Um dos destaques na piscina foi Andre Brasil que conquistou o ouro nos 100 m peito (classe S9), prova em que não costuma treinar e só nadou porque faltava um atleta para completar o número mínimo exigido para a disputa acontecer. O atleta também bateu o recorde parapan-americano, com 1m17s21.

Outros dois ouros em Guadalajara vieram com Carlos Alberto Maciel nos 100m peito, classe SB8, e Carlos Farremberg nos 50m livre na classe (S13), que também bateu o recorde parapan-americano. Genezi Andrade, veterano de cinco Paraolimpíadas, venceu os 50m livre (S3), e conquistou sua nona medalha dourada em quatro Parapans.

A prata foi conquistada por Matheus Rheine, nos 50m livre (S11), Adriano de Lima, nos 100m peito (S5), William Sant'Anna, nos 50m livre (S8), e Letícia Ferreira, nos 200m medley (S5), além de Matheus Henrique na prova vencida por Andre Brasil.

Nélio de Almeida, nos 100m peito (S6); Gabriela Cantagallo, nos 100m peito (S8); João Luís de Castro Almeida, nos 50m livre (S13); Regiane Nunes, nos 50m livre (S12); e Ronystony Cordeiro, nos 50m livre (S4), ficaram com o bronze, elevando a 20 o total de medalhas do Brasil, atrás apenas dos anfitriões mexicanos, com 22.