Fluminense de luto por morte de Ézio

Ídolo tricolor morreu aos 45 anos, vítima de câncer no pâncreas

O ex-atacante Ézio, ídolo do Fluminense, morreu na noite desta quarta-feira, no Rio, aos 45 anos, vítima de câncer no pâncreas. Ele estava internado no Hospital Rios D'Or, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio.

Ézio foi o nono maior artilheiro da história tricolor. Graças ao seu bom desempenho pelo clube, ganhou o apelido de Super Ézio. Seu corpo será velado das 9 às 15h desta quinta-feira, no Salão Nobre do clube, nas Laranjeiras.

Em sua passagem pelo Fluminense, entre 1991 e 1995, Ézio marcou 119 gols em 237 jogos. O presidente do clube, Peter Siemsen, determinou sete dias de luto oficial. Neste período, as bandeiras de todas as sedes tricolores ficarão a meio mastro. Ézio Leal Moraes Filho, que tinha 45 anos, será sepultado na cidade de Ponte de Itabapoana (ES), sua terra natal. Ele deixa a esposa Isabella Nogueira e o casal de gêmeos Ézio e Mabel, de 4 anos.

"Ézio foi um dos maiores artilheiros do nosso Fluminense e ajudou a fortalecer a nova geração de tricolores. Faz parte da nossa história e, nela, está eternizado", declarou Peter Siemsen.