Meia entrada na Copa não é "obstáculo intransponível", diz Ministro

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo (PCdoB), afirmou nesta terça-feira (8) que, embora a Fifa tenha proposto a criação de uma espécie de "cota social" com ingressos mais baratos para idosos, estudantes e população carente durante a Copa do Mundo de 2014, a discussão da meia entrada para determinadas categorias no Mundial "não é um problema incontornável".

"Não vejo nenhum problema incontornável. Essa é a vigésima Copa do Mundo. Acho que não há nenhum problema incontornável. Diferenças, evidentemente, que haverá, mas temos a tarefa de procurar contorná-las, respeitando os interesses da Fifa e respeitando os limites da lei, dos interesses nacionais e do interesse público", disse ele após almoçar com o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke.

"Não creio que seja esse a meia entrada um obstáculo intransponível na corrida para a Copa. Se esse for o problema, sou otimista com a possibilidade de resolver", completou.

O Mundial de 2014 no Brasil deve disponibilizar, conforme cálculos da Fifa, 3 milhões de ingressos, sendo que pelo menos 65% deles serão destinados aos torcedores. Além das vendas para o público em geral, das 32 seleções classificadas para o campeonato esportivo, serão reservados 12% para cada uma delas em cada partida da fase de grupos e 8% para cada seleção nos demais jogos.

Todos os ingressos serão vendidos pela Internet e por ora está descartada a oferta de bilhetes nos estádios. Haverá policiamento específico para evitar a atuação de cambistas e a venda irregular de tíquetes.