CNI: 45% apontam prazo curto de obras como gargalo para Copa

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou, no fim da manhã desta terça-feira (18), o resultado da Sondagem Especial Indústria da Construção sobre expectativas do setor para a Copa do Mundo de 2014, que tem o Brasil como sede. Segundo o estudo, 70,6% de 411 empresas pesquisadas veem a falta e o alto custo de mão de obra qualificada como um dos principais gargalos enfrentados pelo segmento para a realização do evento.

Já 47,9% dos entrevistados, consideram a burocracia do processo licitatório como preocupação, e 45% destacam o prazo curto para a conclusão de obras e serviços.

"Os dois primeiros - falta de mão de obra qualificada e burocracia do processo de licitação - afetam o prazo e quanto mais o tempo passa, mais difícil fica", disse Renato da Fonseca, gerente de pesquisa da CNI.

Entre as empresas de grande porte, o prazo curto para o fim das obras ou serviços e' apontado por 56,5% como o segundo principal gargalo para a realização da Copa.

A falta/alto custo da mão de obra qualificada segue como o maior gargalo na opinião destes empresários. O processo de licitação vem em segundo lugar, com 47,8% entre as grandes.

O levantamento realizado pela CNI perguntou aos empresários da construção quais os impactos da Copa para o setor e os possíveis benefícios para as empresas, além de questionar os principais gargalos para a execução das obras necessárias para o maior evento esportivo do futebol.

A pesquisa foi realizada entre 1° de julho e 15 de julho deste ano. Das 411 empresas pesquisadas, 212 sao pequenas, 149 médias e 50 empresas de grandes porte. Os percentuais nao somam 100%, de acordo com a CNI, pela possibilidade de múltiplas respostas.