Substância proibida é detectada em 109 jogadores do Mundial Sub-17 

Devido a uma contaminação no suprimento de carne, 109 jogadores que disputaram o Mundial Sub-17 de futebol no México, entre os dias 18 de junho e 10 de julho deste ano, testaram positivo para o agente anabolizante clenbuterol, banido do esporte. A informação foi divulgada pela Fifa nesta segunda-feira.

Os testes de urina, analisados na Alemanha depois do torneio, detectaram a substância em 109 das 208 amostras, em jogadores de 19 das 24 seleções presentes no torneio.

O diretor médico da Fifa, Jiri Dvorak, classificou os resultados como "altamente surpreendentes" e insistiu que os atletas não agiram de má fé. "Não é um problema relacionado a doping, mas sim um problema de saúde pública", afirmou.

Assim, a Fifa e a Agência Mundial Antidoping não punirá os atletas contaminados. Dvorak declarou que os nomes não serão divulgados e que o México, a seleção campeã, não teve nenhum caso de contaminação, em decorrência de uma dieta composta de peixe e vegetais antes e durante a competição.