Médico da Renault garante que Kubica volta a correr na F1 em 2012

O médico da Renault, Ricardo Ceccarelli, disse que Robert Kubica, gravemente acidentado em um rali italiano, em fevereiro - voltará a correr no ano que vem. A informação é do site italiano Omni Corse.

No entanto, Ceccarelli foi mais cauteloso quando perguntado se Kubica já poderia correr nos treinos livres do Grande Prêmio de Abu Dhabi, em novembro. "Seria ótimo, mas não é certo. Posso dizer com certeza que Robert será um piloto de F1 em 2012. Não posso dizer exatamente quando ele voltará, será entre os meses de novembro e janeiro", explicou.

Durante um rali, em fevereiro, o polonês bateu no guard rail e ficou gravemente ferido, principalmente no lado direito do corpo. Com fraturas no braço, na perna e na mão, o risco de sequelas colocou o futuro do piloto em xeque. No entanto, o médico italiano afirma que o tratamento está na fase final.

"Ele tinha perdido a sensibilidade do pulso aos dedos, mas agora ele já tem inervações musculares. A sensibilidade nervosa já chegou à ponta dos dedos. Precisamos agora tratar os aspectos musculares e articulares", acrescentou.

O empresário de Kubica, Daniele Morelli, tem acompanhado a situação do polonês desde o início do ano e, assim como Ceccarelli, não fez previsões. "Estamos otimistas, muito otimistas. O dia do retorno não é programável, mas não acho que um atraso de algumas semanas afetará nossos planos. Uma coisa é certa: Kubica voltará a pilotar. Não sabemos dizer com precisão em quanto tempo", ressaltou o italiano, que recentemente divulgou que o polonês participaria de um simulador de F1.

"Muita expectativa foi criada em torno do simulador. Mas Robert precisa voltar a dirigir um carro, sentir o volante tremer. A avaliação será suficiente para se ter uma noção de seu estado. Depois, ele pilota um carro de F1 ou um simulador", completou.

O contrato de Kubica com a Renault termina no fim deste ano, e a escuderia não confirmou o retorno dele ao time em 2012. Eric Boullier, chefe da escuderia, declarou na mesma publicação que espera até outubro para contar com os serviços de Kubica.

"Tive que me esforçar para colocar uma data limite. Se você continuar atrasando, atrasando e atrasando, você acaba colocando os interesses da equipe em risco. Então eu tive que definir um prazo. Preciso ficar atento à esta data para saber se há chance de Robert voltar", frisou.