Ferrari admite problemas e diz que será "difícil" largar no top 4

Mal acabou o terceiro treino livre na manhã deste sábado (pelo horário de Brasília) e a Ferrari, por meio de sua página oficial no Twitter, já fazia uma previsão pessimista sobre o rendimento da equipe no Grande Prêmio de Cingapura. A escuderia informou no microblog que será "muito difícil" cumprir o objetivo de obter uma posição entre os quatro melhores do treino classificatório - marcado para as 11h (de Brasília) deste sábado.

"Um lugar no top 4 é a nossa meta realística, mas será muito difícil alcançá-la", escreveu nesta manhã o perfil Scuderia Ferrari. O discurso é diferente daquele que movia a equipe antes de chegar a Cingapura. Naquele momento, o espanhol Fernando Alonso contava com o bom retrospecto no país para sonhar com a vitória e o brasileiro Felipe Massa confiava em um desempenho melhor do carro em um circuito de rua.

No ensaio que antecedeu a definição do grid de largada, o australiano Mark Webber ficou na primeira colocação, seguido pelo inglês Jenson Button e pelo alemão Sebastian Vettel. Alonso apareceu em quarto e Massa, em oitavo.

No fim do treino, o líder do Mundial de Fórmula 1 chegou a "tirar ao pé" quando se deparou com o carro de Button a sua frente, desistindo de tentar uma nova volta rápida. "De qualquer forma Vettel é o favorito para a pole", admitiu a Ferrari, novamente no Twitter. Caso a previsão se confirme, será a 11ª vez em que o jovem largará na primeira posição em 14 etapas nesta temporada.