Breno é preso por suspeita de incendiar a própria casa 

Breno, o zagueiro brasileiro do Bayern de Munique, suspeito de ter incendiado voluntariamente a própria casa no início da semana, foi preso e colocado sob custódia policial neste sábado, informou a agência esportiva SID, filial da AFP. 

A promotoria decidiu solicitar sua prisão por considerar que existia risco de fuga ou de obstrução da justiça, indicou o promotor Thomas Steinkraus-Koch à SID, confirmando assim as informações publicadas pouco antes pela imprensa esportiva local. 

Steinkraus-Koch também falou de ‘suspeita precisa’ de incêndio voluntário. 

Um tribunal de Munique anunciou na sexta-feira a abertura de uma investigação contra Breno. 

O clube bávaro, o maior campeão da Alemanha, divulgou imediatamente um comunicado mostrando-se ‘surpreso com esta nova situação’. 

Após o incêndio, ‘os dirigentes do clube se dedicaram integralmente ao caso de Breno e de sua família e continuarão desta forma’, acrescentou o Bayern. 

Vinícius Rodrigues Borges, conhecido como Breno, de 21 anos, estava sozinho em sua casa quando ocorreu o incêndio que destruiu totalmente o local. O valor dos danos é estimado em um milhão de euros. 

O jogador, convocado este ano pela primeira vez para a seleção brasileira, sofreu uma intoxicação, mas escapou ileso. 

Sua mulher, seus filhos e outras duas crianças estavam foram do local naquela noite. 

Os bombeiros estabeleceram que o fogo começou em um quarto de hóspedes, no sótão da casa. 

O zagueiro, que contratou os serviços de um advogado, deverá responder às perguntas dos investigadores. 

"Vamos apresentar alguns fatos novos para dar a ele a possibilidade de se explicar’, acrescentou Steinkraus-Koch. 

A hipótese de que um problema técnico tenha gerado o incêndio não foi descartada totalmente, mas o início da investigação judicial pelo incêndio voluntário indica claramente que os magistrados não acreditam nesta tese, nem na de uma simples negligência.