Felipão rechaça papel de ídolo e pede paciência no Palmeiras

O técnico Luiz Felipe Scolari tem sido visto com frequência como o principal responsável pelos bons resultados que o Palmeiras conquista em 2011. No entanto, o próprio treinador fez questão de relativizar seu papel de ídolo alviverde nesta quinta-feira, após o 1 a 0 sobre o Ceará pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.

A vitória foi a primeira do time após cinco jogos na competição. Diante dos constantes protestos da torcida, que chegaram a pichar muros na sede do clube, Scolari adotou um tom calmo em seu discurso, pedindo aos torcedores que tenham a mesma paciência com os jogadores que têm com ele.

"Tenho dito muitas vezes: eu não quero ser visto como ídolo, com isso ou aquilo. Quero que a torcida ou as pessoas que gostam do Palmeiras vejam isso nos jogadores, essa vontade, essa dedicação, e cobrem cada vez mais - mas em um determinado nível", disse o técnico na sala de imprensa do Estádio do Canindé.

"As dificuldades enfrentadas vão nos dar condições até um determinado ponto. Eu sou sabedor disso, o torcedor às vezes não é. A medida em que formos solucionando alguns problemas, vamos ter condições de melhorar a equipe no futuro. Para isso, eu estou satisfeito, feliz", acrescentou, comemorando as "manifestações de carinho" recebidas.

Para devolver a paciência aos torcedores, Luiz Felipe Scolari deu sua receita: vitórias. Sem traçar metas para o fim do ano, o treinador afirmou que espera sempre contar com os pontos de cada próxima partida. Vencendo o Ceará sem jogar bonito, o técnico quer que resultados como o último passem a vir para melhorar o clima do clube.

"Está acontecendo de tudo. Pode ser que a gente vá tirando essa zica com algumas vitórias assim, suadas, difíceis, muito penosas como foi o jogo de hoje. Nós poderíamos ter feito mais gols. Tomara que o que não entrou hoje, entre domingo contra o Atlético-GO para tirarmos o pé do barro", projetou.