Argentina vira mistura de Vélez e Estudiantes para encarar Brasil

Ainda em início de trabalho na seleção argentina, o técnico Alejandro Sabella preferiu optar pelo entrosamento para enfrentar o Brasil, quarta-feira, às 21h50, em Córdoba, pela reedição da Copa Roca. No treino em que ensaiou a equipe, na última segunda-feira, escalou seis jogadores do Velez e três do Estudiantes.

A escolha pela base é facilmente explicada pelo fato de, nos últimos anos, os dois clubes terem formado os melhores times do futebol argentino. Além de ganharem campeonatos nacionais, os times apresentaram boas campanhas internacionais: o Estudiantes conquistou a Copa Libertadores de 2009 e o Vélez ficou na semifinal do último ano.

Com a maioria dos jogadores previamente escalados, o Vélez é o atual campeão do Torneio Clausura e terá como representantes em campo o zagueiro Sebastián Domínguez, o lateral Emiliano Papa, os meio-campistas Augusto Fernández, Héctor Canteros e Víctor Zapata e o atacante Juan Manuel Martínez.

Já o Estudiantes terá em campo os zagueiros Leandro Desábato e German Ré e o atacante Mauro Boselli. O goleiro titular Orión, atualmente no Boca, jogou no time de La Plata até a metade do ano e Verón, cortado por lesão, certamente teria uma vaga na equipe titular. O lateral direito Iván Pillud, do Racing, completa o time que deve encarar o Brasil.

Mas apesar de inegavelmente terem dominado o futebol argentino nos últimos anos, os dois clubes não atravessam boa fase. O Estudiantes é penúltimo do Torneio Apertura, com apenas dois pontos conquistados, e o Vélez é o décimo. O time de Buenos Aires ao menos avançou na Copa Sul-Americana, ao contrário da equipe de La Plata.

Time de maior torcida na Argentina, o Boca Juniors está representado no grupo, além do goleiro Orion, pelo lateral Clemente Rodrigues e pelo atacante Pablo Mouche. Riquelme também seria convocado, mas ficou fora por problemas físicos.