Com conquista nos EUA, Djokovic entra para rol seleto 

A conquista do US Open colocou Novak Djokovic em um rol seleto de tenistas. Ele é apenas o quinto jogador desde o início da Era Aberta, em 1968, a conquistar três Grand Slams em uma só temporada. Em 2011, o sérvio já havia ganhado o Aberto da Austrália e Wimbledon, completando sua festa com a vitória nesta segunda-feira sobre o espanhol Rafael Nadal, em Nova York, por 3 sets a 1: parciais de 6/2, 6/4, 6/7 (3-7) e 6/1.

Conquistar três Slams no mesmo ano era algo bastante raro que vem se tornando comum nos últimos anos. O suíço Roger Federer somou os títulos em 2004, 2006 e 2007 (sempre com a mesma combinação de Djokovic), enquanto que Nadal repetiu a história em 2010, com taças no saibro da França, na grama da Inglaterra e na quadra dura dos Estados Unidos.

Antes disso, apenas o sueco Mats Wilander - que triunfou no Aberto da Austrália, em Roland Garros e nos Estados Unidos em 1988 - e o australiano Rod Laver - que ganhou todos os Grand Slams disputados em 1969 - haviam cumprido o feito em toda a história da Era Aberta. O período serve como referência porque antes de 1968 apenas os tenistas amadores, que não recebiam dinheiro para atuar, tinham permissão para participar dos quatro maiores torneios do mundo.

Na atual temporada, a única derrota de Djokovic em Slams veio em junho, quando Federer bateu o sérvio por 3 sets a 1, com parciais de 7/6 (7-5), 6/3, 3/6 e 7/6 (7-5), na semifinal em Paris. Antes do ano em que se tornou o número 1 do mundo, o atleta de 24 anos somava apenas um major, vencido em 2008 em Melbourne.