Luxemburgo revela teor de palestra antes de vitória contra o Alético-PR 

A única derrota do Flamengo em 2011 foi justamente numa Copa, a do Brasil. E, experiente, Luxemburgo relevou que pegou a partida diante do Ceará como exemplo para dar aos jogadores rubro-negros na preleção desta quarta-feira. Deu certo: o time não levou gol em casa, venceu por 1 a 0 e, agora, tem a vantagem do empate diante do Atlético-PR para avançar na Sul-Americana.

"Na palestra antes do jogo, lembrei aos jogadores que tivemos um péssimo primeiro tempo contra o Ceará, na Copa do Brasil. A Copa é diferente, não podemos tomar gol. Nós vamos fazer gols. Sabemos disso, fazemos gols sempre. Uma copa não permite erros", explicou, confiante, Luxemburgo.

Sobre a escalação de alguns jogadores que nem sempre começam jogando as partidas do Flamengo, o treinador rechaçou o rótulo de reservas e ainda exemplificou."No Brasil, se fala muito de equipe reserva e titular, mas, na Europa, o que se vê é o elenco. Antes do jogo, falei que o time tinha ficado cansado contra o Coritiba. Faltou raciocínio, rapidez, e preferi mesclar. Léo Moura e o Junior Cesar sentiram muito, nem deviam jogar, mas foram mesmo assim. A estratégia foi muito boa, jogamos com três zagueiros e não tomamos gols, o que é muito importante nessa competição", disse o técnico.

O comandante rubro-negro também explicou o porquê de ter feito todas as três substituições a que tinha direito, ao mesmo tempo. Para Vanderlei, também uma 'estratégia'."Não quis voltar para o segundo tempo com as mudanças, para não dar chance ao Renato de já notá-las, ou de raciocinar sobre elas. Iria fazer as três, mas achei melhor esperar", finalizou.

Site do Fla