Flamengo vence mais uma, mantém invencibilidade e quebra tabu

Na mesma noite em que perdeu a liderança do Campeonato Brasileiro para o Corinthians, que empatou com o Santos em jogo atrasado da competição nacional, o Flamengo bateu o Atlético-PR por 1 a 0, no Engenhão, e estreou com vitória na Copa Sul-Americana. Com o resultado, o time carioca joga agora pelo empate na partida de volta, que será disputada na Arena da Baixada, no dia 24 de agosto, às 21h50 (de Brasília). FOi a primeira vez que o rubro-negro venceu na história desta competição.

Contra um Atlético-PR praticamente inteiro reserva, um Flamengo mesclado (com defesa titular e ataque reserva) não conseguiu se impôr no primeiro tempo. Apenas ao promover as entradas de Renato Abreu, Ronaldinho e Thiago Neves, o técnico Vanderlei Luxemburgo viu sua equipe crescer de produção e chegar ao gol da vitória com Ronaldinho, de pênalti, aos 37min da etapa final.

Uma das primeiras equipes brasileiras a fazer boa campanha na Copa Sul-Americana, o Atlético-PR, semifinalista da competição em 2006 (quando foi eliminado pelo campeão Pachuca-MEX), tem na competição uma chance de conquistar um título na temporada, marcada por um primeiro semestre de inferioridade em relação ao rival Coritiba, embalado com o título Paranaense invicto, e complementada com o pior início de Brasileiro de uma equipe na história dos pontos corridos, o que deixa os comandados de Renato Gaúcho longe de pretensões maiores do que fugir do rebaixamento.

O Flamengo, por sua vez, vive situação inversa. Perdeu apenas uma partida em 2011 e, após conquistar o campeoanto estadual de forma invicta, é sério candidato ao título Brasileiro. Desde 1999 sem vencer uma competição continental, quando sagraram-se campeões da extinta Copa Mercosul, os cariocas também teriam motivação para levar a Sul-Americana a sério, ressaltada em depoimentos de jogadores durante a semana.

Ainda assim, ambos os clubes pouparam jogadores para o jogo no Engenhão. No lado paranaense, apenas Cléber Santana, cumprindo suspensão no Brasileiro, estava em campo entre os atletas geralmente escalados por Renato Gaúcho. Já no Flamengo, a defesa era titular com Felipe, Léo Moura, David, Ronaldo Angelim e Junior Cesar.

O primeiro tempo foi pouco movimentado, com uma ligeira superioridade flamenguista. Na obrigação de armar as jogadas do time, o argentino Botinelli esbarrou na boa marcação dos reservas da equipe paranaense, o que forçou o time da casa a buscar jogadas pelas laterais, especialmente com Léo Moura.

Na melhor oportunidade da etapa inicial, Léo Moura tocou para Jael, que girou e concluiu no canto direito, obrigando o goleiro Santos a se esticar.

Substituições

Percebendo o seu time inofensivo, Luxemburgo usou as suas três substituições de direito logo no início da segunda etapa, promovendo as entradas de Renato Abreu, Ronaldinho e Thiago Neves, nas vagas de, respectivamente, Luiz Antônio, Diego Maurício e David.

A melhora do time foi notória e, em apenas dez minutos, o Flamengo chegou perto de abrir o placar, com uma cabeçada cara a cara de Thiago Neves e um perigoso chute de longe de Renato Abreu.

O gol veio aos 37min, quando o juiz marcou pênalti do goleiro Santos em Jael. Na cobrança, Ronaldinho assegurou a vitória flamenguista e a vantagem para o jogo de volta.