Ministro se isenta sobre nova polêmica de estádio do Corinthians

O ministro do Esporte, Orlando Silva, que esteve em São Paulo nesta sexta-feira, se isentou de opinar sobre a nova polêmica envolvendo a construção do estádio do Corinthians, no bairro de Itaquera, zona leste da capital paulista, e disse que o anúncio de apoio do governo do Estado e a liberação de incentivos fiscais ao Corinthians permitiram "virar a página" sobre o assunto.

Na última sexta-feira, o Ministério Público Federal recomendou ao presidente da Petrobras Transporte S/A (Transpetro), José Sérgio de Oliveira, que não permita a remoção dos dutos da estatal instalados no terreno onde será construído o estádio sem que os responsáveis pela obra - o Sport Club Corinthians e a construtora Odebrecht - assinem o contrato de responsabilidade pelo processo de reposicionamento.

"Seria melhor perguntar para o Corinthians, que é o dono do estádio e está tratando dos detalhes do orçamento. O que eu creio que essa semana foi muito importante, com o anúncio do apoio do governo do Estado e a assinatura do projeto de lei que dá incentivos fiscais ao Corinthians, o que permitiu virar a página do assunto estádio em São Paulo", disse.

"São Paulo, felizmente, resolveu ter um estádio, e espero que agora passemos a debater as condições para a abertura da Copa acontecer aqui na cidade", afirmou Orlando Silva, que espera uma decisão da Fifa sobre a cidade de abertura da Copa já na próxima semana, e não no prazo previsto pela Fifa, em outubro.