Região histórica de Londres recebe areia para vôlei de praia na Olimpíada

Os preparativos para a Olimpíada de Londres 2012 continuam em ritmo acelerado. Faltando pouco mais de um ano para a abertura das competições, a cidade começou a receber nesta quinta-feira a areia que será utilizada na arena do vôlei de praia. A estrutura está sendo montada no Horse Guards Parade, região histórica bem no centro da capital inglesa.

Durante todo o dia, 120 caminhões vão entregar 2.274 toneladas de areia trazidas de Godstone, cidade na região sul do Reino Unido, para a montagem da quadra principal, além de duas quadras para aquecimento e outras duas para treinamentos. No total, a arena temporária terá capacidade para 1.500 pessoas durante o evento teste que será realizado na segunda semana de agosto.

Ao todo, 24 duplas femininas de vôlei estão inscritas na competição, entre elas as americanas Jennifer Kessy e April Ross, líderes do ranking mundial da categoria. As brasileiras Taiana e Vivian também participam do evento teste para as Olimpíadas.

A disputa terá como objetivos principais avaliar a capacidade dos organizadores de Londres 2012 para montar e desmontar a arena, verificar as necessidades de atletas e treinadores e implementar o esquema de segurança.

Todos os ingressos para o evento teste foram vendidos e os dirigentes do comitê local comemoram a instalação da arena no meio de um dos principais pontos turísticos da cidade.

"Milhões de pessoas circulam por aqui diariamente. Estamos nos jardins de Downing Street (sede do governo britânico) e na porta principal do Palácio de Buckingham. Não poderia haver local mais adequado para atrair a atenção do público e fazer com que londrinos e turistas se envolvam verdadeiramente com os preparativos para os Jogos de 2012", disse ao Terra o gerente de vôlei do comitê organizador, Bob Clarke.

Um dos grandes desafios para a montagem da arena de vôlei de praia é a falta de espaço no Horse Guards Parade. A área, onde ocorre diariamente a troca de guarda da cavalaria real, é bastante compacta e cercada por prédios comerciais e do governo britânico. Eddie Farrell, gerente da Royal Parks, entidade que gerencia os parques da coroa britânica, explica que cuidados adicionais estão sendo tomados para não danificar a região histórica de Londres.

"Existem muitas empresas e vários departamentos de governo ao nosso redor. Por isso, precisamos ter certeza que os negócios aqui não sejam afetados, que as atividades profissionais sigam sem incômodo. Ao mesmo tempo, precisamos transformar uma área que é totalmente vazia em uma arena de nível internacional. Isso demanda movimentação intensa de máquinas e operários. Até agora, tudo tem corrido bem, o que nos dá tranquilidade para as obras em 2012", afirma.

No entanto, Farrell brinca com o clima britânico e reconhece que os londrinos dificilmente poderão garantir sol e temperaturas elevadas durante as partidas de volêi de praia. "Na verdade, nós até temos alguns dias bons no verão. Com certeza teremos sol, mas tenho mais certeza ainda que vai chover", brinca o executivo. "Ainda assim, o importante é que as instalações estarão preparadas para qualquer clima, seja com chuva ou com calor intenso", disse.