Defesa leva só dois gols na Era Mano e inicia Copa América em alta

Com apenas dois gols levados em oito jogos, a Seleção Brasileira inicia a Copa América neste domingo com a defesa construída por Mano Menezes em alta. Durante a preparação brasileira para o torneio na Argentina, os zagueiros apontaram uma evolução no setor nos últimos anos e sustentaram que o Brasil também pode ser considerado um país de defensores.

"No passado a crítica em cima dos zagueiros era muito grande e teve que mudar com o tempo. O Brasil sempre vai ser o país do futebol bonito e arte. Mas os zagueiros serem respeitados mais hoje em dia mostra a nossa melhoria. Todos os setores estão bem servidos e os defensores estão fazendo boas campanhas no seus clubes", disse Luisão.

O jogador, convocado constantemente para a Seleção desde 2004, é uma prova desta mudança. Praticamente reserva durante todo este período, Luisão mostrou segurança quando esteve em campo pelo Brasil e teve vaga cativa nas convocações de Mano Menezes.

Os outros três zagueiros na Copa América também gozam de prestígio internacional. Mano iniciou o trabalho apostando em Thiago Silva, do Milan, e David Luiz, do Chelsea. A volta do capitão Lúcio neste ano fez David ir para a reserva e o setor está longe de ser o mais problemático para o treinador.

"De 2002 para cá a Seleção sempre foi muito cobrada na parte defensiva e hoje, não só o David e o Thiago têm condições de representar a Seleção. Hoje é comum zagueiros brasileiros serem valorizados na Europa. O Brasil melhorou e produz bons zagueiros", disse Lúcio.

A evolução dos zagueiros brasileiros coincidiu com a maior presença de jogadores da posição na Europa. Até a década de 90, o Brasil era um exportador basicamente de atacantes, situação que mudou nos últimos anos.

"Uma coisa vai puxando a outra. A Seleção cresceu bastante, evoluiu bastante. A gente lutou e nadou contra a correnteza quando ninguém acreditava em nós. Os títulos e as conquistas na Europa fazem com que cada vez mais o futebol brasileiro seja valorizado no mundo inteiro. São vitórias conquistadas no campo", disse Lúcio.

O Brasil estreia contra a Venezuela neste domingo, às 16h (de Brasília), em La Plata. O time ofensivo, com um quarteto formado por Ganso, Neymar, Pato e Robinho, também pode dificultar o trabalho dos defensores que pedem a ajuda dos atacantes na marcação.