Com show particular de Marta, Brasil atropela Noruega e avança 

Com Marta inspiradíssima e um ótimo segundo tempo, a Seleção Brasileira teve seus objetivos atingidos e a primeira grande vitória na Copa do Mundo de Futebol Feminino. Diante de uma forte Noruega, o Brasil atropelou com 3 a 0, comandado por sua camisa 10, e levantou o público presente à Volkswagen Arena, em Wolfsburg, neste domingo. De quebra, confirmou a classificação às quartas de final.

Marta, que marcou dois gols e uma assistência preciosa, é quem comandou o grande jogo do Brasil, sobretudo no segundo tempo. Na etapa inicial, a Seleção novamente não jogou bem e só saiu à frente graças a um lance polêmico de sua camisa 10, que derrubou uma norueguesa no lance que terminaria em gol. Com 3min da parte final, as brasileiras já tinham 3 a 0 de vantagem, construída também por novo gol de Rosana.

O triunfo, além de abafar a apreensão pelo futebol fraco da estreia, também coloca o Brasil já na próxima fase. Com seis pontos e líder do Grupo D, a Seleção de Kleiton Lima não pode mais ser ultrapassada e apenas tentará confirmar a primeira posição no próximo jogo, que ocorre contra a Guiné Equatorial, quarta-feira, em Frankfurt.

A equipe africana, estreante em Mundiais, perdeu os dois jogos que disputou, contra Noruega e Austrália. Basta um empate para o Brasil também assegurar a primeira posição do grupo. França ou Alemanha, que disputam a liderança do Grupo A, será a próxima adversária nas quartas de final.

Brasil carimba a classificação com gols e bom futebol

Atrás da classificação antecipada, o Brasil foi a campo para enfrentar a Noruega com as mesmas titulares da estreia, mas com a intenção de encontrar seu jogo ideal. Kleiton Lima preservou a escalação com três zagueiras, sendo Daiane a libera e Aline Pellegrino e Erika as duas que sairiam no combate das atacantes norueguesas. O que poderia ser a senha para liberar o resto da equipe, porém, não aconteceu no primeiro tempo.

Com Formiga e Ester novamente errando muitos passes, a Seleção teve dificuldade para chegar ao ataque, o que dependia sempre de lances raros de Rosana, Maurine e Fabiana. Isoladas, Marta e Cristiane participaram pouco dos 45 minutos iniciais, marcados pelo maior volume de jogo da Noruega. Ainda assim, a vantagem foi do Brasil no primeiro tempo.

Marcando mais à frente e com bons passes, a Noruega, que também contava com o apoio de boa parte do público presente à Volkswagen Arena, criou sua primeira jogada de muito perigo aos 17min. Depois de bola cruzada da direita, Aline Pellegrino afastou para o meio da área. Livre, Giske exigiu ótima defesa de Andreia, novamente muito segura.

No momento em que a Noruega ensaiava uma pressão mais forte, sobretudo a partir de bolas aéreas, o Brasil respondeu com bola na rede. Erika roubou bola no meio e passou a Marta que, após disputa com Berge, pedalou para cima de Mjelde, ficou livre e finalizou com precisão diante da goleira Hjelmseth. A jogada, bastante polêmica, provocou revolta no público majoritariamente norueguês que foi até a Volkswagen Arena, já que Marta derrubou uma marcadora.

O gol brasileiro esfriou o ânimo das norueguesas, que seguiram trocando passes, mas encontraram dificuldades em achar espaços diante de uma defesa bem fechada. Já o Brasil, também sem muita inspiração, só ameaçou aos 41min. Marta puxou jogada pela esquerda, Rosana recolheu e arriscou de longe, com a direita, e exigiu ótima defesa da goleira adversária no último bom lance do primeiro tempo.

O intervalo pareceu ter acordado a Seleção Brasileira e também Marta, que enfim justificou a fama de melhor jogadora do mundo. Com essa condição, a camisa 10 chamou a responsabilidade e, em dois lances, definiu três pontos mais e também a classificação assegurada para as quartas de final.

A 1min, Marta recebeu na intermediária ofensiva, girou sobre a marcadora e partiu em disparada, com técnica, força e velocidade. Já na grande área, só rolou para Rosana, de direita, marcar o segundo do Brasil na partida e também o segundo dela própria na Copa do Mundo.

As norueguesas sequer tiveram tempo de digerir o segundo gol e também tomaram o terceiro. Desatenta, Mjelde saiu jogando errado e Cristiane, na raça, dividiu duas vezes. A bola sobrou no pé de Marta, que limpou a marcação e estufou as redes mais uma vez. Vaiada no primeiro tempo, a camisa 10 acabou ovacionada por toda a Volkswagen Arena.

Fechado atrás e com espaços para o contra-ataque, o time brasileiro ainda criou mais oportunidades. Na primeira delas, Marta teve campo aberto, mas errou um passe que deixaria Cristiane com a faca e o queijo nas mãos diante da goleira norueguesa. Logo depois, partindo da ponta direita, a camisa 10 fez jogada semelhante ao do segundo gol, mas demorou a finalizar e foi abafada pela camisa 1.

Daí em diante o jogo ficou mais morno e o técnico brasileiro fez substituições pensando nos próximos jogos. Francielle entrou no lugar de Fabiana que sentiu lesão antes do jogo e atuou no sacrifício. Já a zagueira Daiane tinha cartão amarelo e foi substituída por Renata.

Brasil 3 x 0 Noruega

Gols: Brasil: Marta, aos 22min do primeiro tempo, Rosana, a 1min, Marta, a 3min do segundo tempo Brasil: Andreia; Aline, Daiane (Renata) e Erika; Fabiana (Francielle), Formiga, Ester (Grazielle) e Maurine; Rosana; Marta e Cristiane Treinador: Kleiton Lima

Noruega: Hjelmseth; Skammelsrud, Mjelde, Berge e Mienna; Kaurin (Thorsnes), Stensland (Tofte Ims), Ronning e Haavi (Pedersen); Giske e Herlovsen Treinadora: Eli Landsem

Cartão amarelo: Brasil: Daiane

Árbitra Kari Seitz (Estados Unidos)

Público: 26.067 espectadores

Local Volkswagen Arena, em Wolfsburg (Alemanha)