Conheça o brasileiro que estragou a noite argentina em La Plata

O atacante Edivaldo Rojas, 25 anos, teve uma história quase anônima no Brasil até ganhar destaque pela forma mais insólita: marcar um gol que garantiu o empate por 1 a 1 da Bolívia diante da Argentina, na partida inaugural da Copa América, na última sexta-feira, no Estádio Ciudad de La Plata. Agora, todos querem saber quem é esse brasileiro que mesmo vestindo camisa de outro país estragou a festa dos argentinos.

Filho de mãe brasileira e pai boliviano, Edivaldo nasceu em Cuiabá no dia 17 de novembro de 1985 e viveu parte de sua infância na fronteira entres os países, na cidade de San Matías. Os pais do jogador, Alzira e Manuel, tinham negócios na região.

Edivaldo começou no futebol ainda criança e sua carreira ganhou corpo quando, em viagem com a seleção de Mato Grosso para Curitiba, chamou a atenção e foi convidado a integrar as categorias de base da Atlético-PR. Então com 15 anos, mudou-se para a capital paranaense e alimentou o sonho de ser um jogador profissional.

Profissionalizou-se aos 18 anos e passou por Figueirense, Ferroviária, Caldense e Americana antes de iniciar a sua carreira na Europa pelo Naval, clube português no qual joga há três temporadas. As raízes, porém, ainda continuam no Brasil.

"Esse gol contra a Argentina teve um sabor especial porque a minha mulher (Cibele) e filha (Aline) devem ter visto lá de Curitiba", disse o atacante, que no momento mantém como ligação à Bolívia sua irmã farmacêutica Rosângela.

Mesmo sem nunca ter jogado em um clube boliviano, Edivaldo foi convidado a se juntar à seleção do país por conta de seu parentesco. Aceitou, conseguiu a naturalização há dois meses e jogou apenas dois amistosos contra o Paraguai antes de iniciar a Copa América.

O gol marcado no 2º minuto da etapa final mudou o status do jogador não só em relação aos brasileiros, mas também aos bolivianos. Na saída do estádio foi cercado por jornalistas do país e recebeu mais assédios que  seus companheiros, como se fosse um legítimo boliviano.